Airbus vs Boeing

União Europeia e EUA terão trégua na guerra tarifária entre Boeing e Airbus

Disputa se arrasta há quase vinte anos e gerou mais de US$ 12 bilhões em tarifas adicionais


Airbus e Boeing iniciaram disputa sobre legalidade de subsídios há quase vinte anos

Os Estados Unidos e a União Europeia anunciaram uma suspensão temporária da disputa tarifária referente as acusações mutuas da Boeing e Airbus. Os fabricantes alegam a existência de subsídios ilegais na exportação de aeronaves.

O anuncio foi feito pelo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, que deram um prazo de quatro meses para uma análise dos termos atuais.

O objetivo de ambos os lados é encontrar um ponto de equilíbrio após os fabricantes argumentarem formalmente sobre a existência de subsídios estatais ilegais. A Airbus e a Boeing entraram com uma contestação comercial em 2004, alegando a existência de dispositivos tributários e de financiamento que facilitavam vendas no mercado internacional.

“Esta suspensão ajudará a restaurar a confiança, portanto, nos dará espaço para chegar a uma solução negociada abrangente e duradoura”, disse Valdis Dombrovskis, vice-presidente executivo e comissário de Comércio da Comissão Europeia. “Uma relação comercial positiva entre a UE e os EUA é importante não apenas para os dois lados, mas para o comércio global em geral”.

Na ocasião, a ação entre os principais fabricantes de aeronaves foi parar na Organização Mundial do Comércio (OMC) se estendendo por dezessete anos. Entre as consequências da disputa estão a aplicação de tarifas extras em produtos industriais que além de impactar no setor aeronáutico ainda atingiram os segmentos de alimentos e bebidas (vinho, azeite e queijo), assim como empresas especializadas em artigos de luxo. A disputa envolveu especialmente os países europeus como a Espanha, Itália, França, Espanha e Reino Unido.

Diante da acusação cruzada, a OMC condenou todos os países envolvidos por fornecerem subsídios ilegais. Do lado europeu, Reino Unido, Espanha, Alemanha e França foram acusados de praticarem empréstimos ilícitos destinados ao desenvolvimento de novas tecnologias e aeronaves para a Airbus, além de perdoar antigas dívidas. Já no lado norte-americano a organização afirmou que a Boeing se beneficiou da redução de impostos criados pelo estado de Washington.

Com a suspensão de quatro meses, tanto a União Europeia como os Estados Unidos vão avaliar uma solução posterior para buscar equilíbrio comercial, que antes enfrentava dificuldades de negociações durante o governo de Donald Trump.

A decisão temporária é considerada longe do ideal, mas pode ser o primeiro passo para um antigo apelo do bloco europeu para suspender a disputa. As tarifas de ambos os lados somadas se aproximam da marca dos US$ 12 bilhões, sendo 4 bilhões em produtos europeus e 7,5 bilhões em produtos americanos.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 10 de Março de 2021 às 13:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Boeing Airbus subsídios União Europeia EUA OMC