Mais vale um discurso que a segurança

Irã diz que não vai enviar caixa preta do 737 acidentado para os EUA

Disputa entre Teerã e Washington pode comprometer correta investigação do caso


Disputa política entre Irã e EUA pode atrapalhar análise e investigação do acidente com o Boeing 737 em Teerã

As autoridades do Irã afirmaram que não vão entregar as caixas pretas do Boeing 737-800, que caiu está manhã em Teerã, para análise no exterior. O chefe da agência de aviação civil iraniana, Ali Abedzadeh, disse que a investigação não contará com a participação da Boeing, fabricante do avião, nem das autoridades norte-americanas.

O protocolo na aviação civil prevê que o fabricante do avião e as autoridades de aviação civil do país onde ele foi construído participem ativamente do processo de investigação do acidente. Porém, com a escalada da crise entre Teerã e Washington é pouco provável o Irã permita que peritos norte-americanos atuem no caso.

LEIA TAMBÉM

A investigação do acidente exigirá também a participação de equipes ucranianas no processo de análise dos dados da caixa preta e dos destroços, visto que a aeronave é pertencente a Ukraine International Airlines. Ainda que Abedzadeh não tenha fornecido maiores detalhes sobre o procedimento que será adotado, o Irã não possuí capacidade técnica para avaliar as duas caixas pretas, obrigando - caso a investigação seja levada adiante, o envio do material para um país que detenha meios de analisar os dados gravados nos dois equipamentos.

Existe a possibilidade dos gravadores serem enviados para a Ucrânia, que tendo porte dos módulos terá jurisdição para avaliar qual caminho deverá seguir.

ASSINE AERO MAGAZINE COM ATÉ 76% DE DESCONTO

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 8 de Janeiro de 2020 às 12:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 737 Irã Ukraine International Airlines Teerã acidente míssil Flight Radar 24 Ucrânia