Boeing pode estar estudando o lançamento de um novo avião comercial

Imprensa internacional especula sobre futuro da família 737 MAX e desenvolvimento de nova geração de aeronaves


A família 737 MAX pode ter sido a última atualização lançada para o veterano bimotor da Boeing

A Boeing pode estar avaliando um novo modelo de avião para substituir no futuro o 737 MAX. O projeto supostamente está em fase preliminar, distante da definição de um modelo final, mas mostra a necessidade do fabricante em buscar uma solução de curto prazo.

O tema tem sido abordado por AERO Magazine há vários meses, mas agora ganhou destaque também no renomado The Wall Street Journal, que também confirmou com fontes internas que a Boeing estuda o desenvolvimento de um novo avião comercial.

Antes da pandemia a Boeing trabalhava no chamado NMA, New Midsize Airplane, que deveria gerar uma família de aviões intermediária entre os atuais 737 MAX e os 787-8 Dreamliner. A expectativa era repetir o sucesso do dueto 757 e 767, oferecendo ao mercado uma aeronave de fuselagem larga e outra variante de corpo estreito.

Porém, a paralisação da frota global de 737 MAX pode ter acendido uma luz de alerta na Boeing, que encara o duro desafio de oferecer ao mercado uma solução futura aos já veteranos 737. Lançados em meados dos anos 1960, a família 737 passou por quatro modernizações, atingindo na série MAX o extremo do projeto. A rival Airbus realizou no A320neo a primeira modernização da família, em um projeto quase vinte anos mais novo que o 737, que ainda oferece grande margem para atualizações.

Segundo o texto do The Wall Street Journal, as conversas sobre uma possível nova aeronave estão em um estágio inicial, sequer sendo algo formal, o que torna difícil estabelecer um prazo para um possível anúncio de lançamento.

Fontes internas da Boeing consultadas por AERO Magazine, endossam as notícias anteriores sobre a intenção de desenvolver um novo avião, mas não podem assegurar se o projeto oferecerá um substituto aos 737 MAX ou um avião intermediário, ligeiramente inferior ao 787-8 e maior que o 737 MAX 9.

Um dos entraves a substituição do 737 MAX é convencer os maiores operadores da família 737 em trocar a totalidade da frota por um modelo completamente novo, incluindo os custos de treinamento de tripulação, equipes técnicas, suprimento de peças, entre outros.

A incorporação de uma aeronave nova na frota envolve custos bastante elevados, tornando a manutenção da família 737, em suas diversas variantes, mais econômico. Contudo, o modelo mostra sinais que o MAX foi sua última atualização.

  • Se inscreva no canal da AERO Magazine no YouTube clicando aqui

Da redação

Publicado em 21 de Outubro de 2020 às 15:30


Notícias notícias de aviação aeronave avião Boeing 737 737 MAX 757 767 787 Dreamliner A320 Airbus