Após mais de 30 meses

Boeing fecha acordo com vítimas de acidente com o 737 MAX

Acidente com avião da Ethiopian Airlines matou 157 pessoas


Boeing 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines

Advogados das famílias das vítimas se mostraram satisfeitos com o acordo - Foto: Michal Haraf

A Boeing fechou um acordo com as famílias do acidente com o 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines de registro ET-AVJ, que caiu após decolar de Addis Ababa (ADD), na Etiópia, para Nairóbi (NBO), no Quênia, em 10 de março de 2019, matando 157 pessoas.

Segundo o americano The Wall Street Journal, apenas duas famílias se recusaram a assinar o documento, apresentado em um tribunal do Estado de Illinois, nos Estados Unidos, onde consta que a Boeing ‘assume a responsabilidade pelo acidente’, em troca da desistência de ações judiciais contra a fabricante.

Os valores não foram divulgados, mas os advogados das famílias se mostraram satisfeitos com o resultado, alegando que é um marco importante para elas na busca por justiça e que isto garantirá que todos sejam tratados de forma justa.

Os dois acidentes envolvendo aeronaves da Ethiopian Airlines e da Lion Air foram o estopim para que o 737 MAX tivesse suas operações suspensas em todo o mundo, o que durou até o fim de 2020. A Boeing já desembolsou cerca de US$ 20 bilhões (R$ 109 bilhões) com as consequências das tragédias.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

 

Marcel Cardoso

Publicado em 11 de Novembro de 2021 às 09:30


Notícias noticias noticias de aviação Acordo Boeing 737 MAX Ethiopian Acidente Vítimas