Azul no vermelho

Azul tem prejuízo de R$ 2,24 bilhões no terceiro trimestre de 2021

Preço do combustível impactou fortemente nas despesas


Airbus A320neo da Azul

Presidente da empresa mantém confiança com 2022, apesar dos atuais desafios - Foto: Divulgação

A Azul Linhas Aéreas divulgou os resultados financeiros referentes aos meses de julho, agosto e setembro de 2021, reportando prejuízo de R$ 2,24 bilhões, revertendo o lucro de R$ 1,07 bilhão auferido no trimestre anterior.

Apesar do resultado negativo, as receitas operacionais tiveram uma expressiva alta de quase 60%, para R$ 2,71 bilhões. Este valor corresponde a 89,7% dos níveis registrados antes da pandemia de covid-19, no terceiro trimestre de 2019. Em 30 de setembro, a companhia tinha liquidez imediata de R$ 5,3 bilhões, valor praticamente estável em relação ao fim de junho.

As despesas operacionais tiveram alta de 22,8% no período, impulsionadas principalmente pela alta de 28,6% no preço do combustível e pela alta depreciação média do Real.

Embora o real e o combustível sejam grandes desafios, continuamos entusiasmados com nossas tendências positivas de receita. A vacinação continua avançando, as cidades brasileiras reabriram, as empresas estão voltando aos escritórios e as restrições nas fronteiras internacionais foram suspensas. Essas melhorias (...) renovam a confiança em nossos planos para 2022”, segundo o presidente da Azul, John Rodgerson.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

 

Marcel Cardoso

Publicado em 11 de Novembro de 2021 às 09:05


Notícias noticias noticias de aviação Azul Resultados Trimestre Lucro Prejuízo Receitas