A turbulência da Bombardier


Se o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tenta evitar a todo custo o rebaixamento da nota da economia brasileira, o fabricante canadense de aeronaves Bombardier não teve a mesma sorte. A agência de classificação norte-americana Standard & Poor’s diminuiu a nota da Bombardier de BB+ para BB e, ainda, deixou a empresa com a perspectiva negativa. Segundo a S&P, o atraso por mais seis meses do programa Global 7000 (dois anos considerando a previsão inicial), que já consumiu muito do caixa, vai ter impacto direto nas margens. “A corda no pescoço da Bombardier ficou um pouco mais apertada”, diz Pedro Galdi, consultor independente da WhatsCall. A Fitch também reduziu a perspectiva da companhia para negativa, alegando os mesmos problemas identificados pela S&P.

Por André Jankavski

Publicado em 3 de Setembro de 2015 às 00:00


Aeroinvest Joaquim Levy Bombardier turbulência

Artigo publicado nesta revista