Céus abertos no Brasil?


A Comissão de Especialistas para a Reforma do Código Brasileiro de Aeronáutica (CERCBA), do Senado Federal, aprovou o aumento de 20% para 100% de capital estrangeiro pelas empresas. Agora, a matéria será formatada e apresentada à mesa diretora do Senado. Caso seja aprovada e vire lei nas mãos da presidente Dilma Rousseff, a lei transformará totalmente o setor de companhias aéreas brasileiro. “É uma oportunidade que precisamos aproveitar”, afirma Respício Espírito Santo, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro e membro fixo da CERCBA. “O caminho é a globalização, imagine o impacto positivo que teremos nas empresas brasileiras...” De acordo com o professor, isso abriria a concorrência no país, permitiria investimento de empresas estrangeiras em companhias nacionais deficitárias e até estimularia a criação de outras novas. “Teríamos acesso a novos modelos de gestão e aumentaríamos nossa competitividade”, afirma Espírito Santo. “Até as maiores companhias têm a ganhar”. Neste ano, a United comprou 5% da Azul e a Gol possui a AirFrance-KLM e a Delta como acionistas. O resultado final deverá ser conhecido apenas no fim de 2016.

Por André Jankavski

Publicado em 3 de Setembro de 2015 às 00:00


Aeroinvest CERCBA aprovou aumento capital estrangeiro

Artigo publicado nesta revista