Restrições ampliadas

Reino Unido e Irlanda são incluídos na proibição de viagens nos EUA

Restrições ocorrem três dias após o governo norte-americano anunciar o impedimento de visitantes da Europa


As restrições de viagem anunciadas no dia 11 de março pelo presidente Donald Trump agora serão expandidas para os cidadãos vindos do Reino Unido e Irlanda; a decisão veio por meio do próprio presidente: segundo ele se tornaria “inevitável” na medida em que o coronavírus avança nos Estados Unidos e afeta diretamente o setor aéreo do país norte-americano. 

A medida tem duração de 30 dias a partir do dia 30 de março, caso algum cidadão dos Estados Unidos e residentes permanentes queira retornar para o território norte-americano sob a restrição vigente, terão acesso ao país desembarcando apenas em 13 aeroportos selecionados pelo governo para serem examinados: Atlanta, Boston, Chicago, Dallas-Fort Worth, Detroit, Honolulu, Los Angeles, Miami, Nova York JFK, Newark, San Francisco, Seattle, e Washington Dulles. 

LEIA TAMBÉM

Duas das principais companhias dos Estados Unidos anunciaram que a pandemia do Covid-19 impactou em cheio as suas operações. A Delta informou a redução em 40% da sua capacidade de voo, resultando na parada de 300 jatos, o que representa quase um terço de sua frota. 

A American informou números parecidos: cerca de 34% da sua capacidade internacional foi cortada, representando uma diminuição de 50% na sua demanda internacional para o próximo mês, situação que deverá se manter até um desfecho da pandemia do Covid-19 que vem afetando companhias do mundo todo. 

Por Gabriel Benevides

Publicado em 16 de Março de 2020 às 00:00


Notícias Notícias notícias de aviação aeronaves aviões Europa Estados Unidos British Airways American Airlines coronavírus covid-19 Delta