Rotas mais curtas

Reconciliação do Golfo vai gerar economia bilionária para a Qatar Airways

Empresa deverá poupar anualmente mais de US$ 1,2 bilhão em custos operacionais


Airbus A350 da Qatar Airways

Voos da Qatar Airways poderão seguir rotas mais curtas através do espaço aéreo de nações vizinhas

Após um novo acordo diplomático entre o Catar e seus vizinhos, a Qatar Airways poderá reduzir seus custos operacionais em mais de US$ 1,2 bilhão por ano.

Com a reabertura dos espaços aéreos da Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito e Bahrein, a Qatar não será mais obrigada a desviar seus voos, que estavam impedidos de sobrevoar estes países.

Durante entrevista do presidente da Qatar Airways, Akbar al-Baker, a reconciliação do Golfo permitirá a empresa voar rotas mais curtas e diretas. Além da redução de tempo, haverá considerável melhorias nos custos operacionais.

Ainda antes da reconciliação, a Qatar Airways havia exigido dos países vizinhos ao Catar uma série de compensações financeiras. O protesto está baseado nos acordos da Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO, na sigla em inglês) e que foi julgada em favor da companhia aérea.

Excluindo casos de conflito ou países que não seguem nenhuma lei internacional, o espaço aéreo não pode ser fechado para uma empresa ou aeronaves de determinado país. A proibição de voos da Qatar Airways foi uma forma de pressionar Doha a negociar com as nações do Golfo.

O bloqueio do Golfo começou em meados de 2017, quando a Arábia Saudita acusou formalmente o Catar de patrocinar o terrorismo. O governo de Doha também sofreu pesadas críticas por sua aliança com o Irã, país considerado inimigo da maioria das nações árabes da região.

Desde então, os aviões da Qatar Airways eram obrigados a sobrevoar o Irã ou áreas internacionais para sair ou chegar de Doha, ampliando consideravelmente o tempo de voo.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 5 de Fevereiro de 2021 às 15:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Qatar Airways Airbus A350 Emirados Árabes Arábia Saudita Irã Doha Catar