Casos de família

A350 ameaça futuro dos A380 da Qatar Airways

Redução na demanda e pegada de carbono jogam contra o super jumbo da Airbus


Airbus A380 da Qatar Airways

Nos próximos meses apenas cinco A380 da Qatar poderão retornar aos voos regulares

A Qatar Airways deverá operar no curto prazo apenas metade de sua frota de A380, se adaptando a nova realidade de demanda global projetada para os próximos meses.

Dos dez aviões do tipo na frota, a expectativa é que cinco retomem os voos nos próximos meses, mas sem uma meta de retorno em serviço de cada unidade, o que dependerá de uma significativa recuperação da demanda de passageiros, algo que poderá levar vários meses.

De acordo com o presidente-executivo Akbar Al Baker, a Qatar Airways não planeja, por ora, se desfazer se seus gigante da Airbus mas não tem um prazo para retomar os serviços com a frota completa. Aliás, a companhia não descarta sequer vender algumas aeronaves do modelo. “Iremos operar apenas metade dos A380 que temos. Então, se você estiver muito interessado em comprar algumas unidades, irei vendê-los para você”, disse o executivo durante o evento da CAPA.

Saiba mais...

O executivo justificou a ausência do A380 nas rotas atuais graças a Qatar Airways operar uma frota composta por aeronaves de elevada eficiência e menor capacidade, o que torna a operação mais rentável e equilibrada. Os Airbus A350 e Boeing 787 em serviço são mais adequados a nova realidade de demanda, apontando o Airbus A380 como uma das piores escolhas em termos sustentáveis e eficiência operacional. “Os A350 e 787 são aviões muito eficientes no que diz respeito às emissões [de poluentes], especialmente o A350-1000”, destacou Al Baker.

As declarações do executivo têm como base uma análise que a companhia aérea realizou em 2020, quando constatou que o A380 emitia 95% mais dióxido de carbono por hora de voo que seu irmão mais novo, o A350. Uma das justificativas está no maior peso do avião, que exige uso de quatro motores com capacidade similares aos do A350, que por outro lado, emprega apenas dois.

A empresa realizou um estudo interno comparando os A380 e A350 voando com a mesma quantidade de passageiros nos voos partindo de Doha para Londres, Guangzhou, Frankfurt, Paris, Melbourne, Sydney, Toronto e Nova York.

Airbus A350-1000 da Qatar Airways

Airbus A350 pode emitir 95% menos dióxido de carbono que os A380 voando nas mesmas rotas

O relatório apontou que por hora, em média, o A350 emite 16 toneladas a menos de dióxido de carbono em relação ao A380, o que representa uma diferença de 80% nas emissões. O resultado foi ainda mais surpreendente nos voos para Melbourne, Nova York e Toronto, quando o A380 emitiu 95% mais dióxido de carbono por hora que o A350, o que se traduz em uma diferença de 20 toneladas a mais de poluentes a cada 60 minutos.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 14 de Janeiro de 2021 às 11:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Airbus A350 A380 Qatar Airways árabe Nova York Londres China pandemia