Disputa política e crise no setor cargueiro

Operadora russa do An-124 entra em crise e perde parte da frota

Volga-Dnper disputa com Antonov direitos de operação dos super cargueiros e não renova contratos com a Otan


Cargueira russa Volga-Dnepr é uma das maiores operadoras do Antonov An-124 no mundo

A companhia aérea russa Volga-Dnepr, famosa por seus Antonov An-124, enfrenta uma de suas maiores crises e deverá retirar de serviço parte de sua frota de super cargueiros. A empresa é uma das afetadas pela redução na demanda global por transporte aéreo, incluindo de grande capacidade e volume.

Um dos entraves para a companhia foi a dissolução do acordo operacional com a ucraniana Antonov Airlines, em 2016, quando a Volga-Dnepr passou a enfrentar uma disputa judicial para manter a operação de seus An-124. Parte da frota era utilizada em parceria com a Antonov, que é coproprietária dos aviões.

LEIA TAMBÉM

Em maio a Volga-Dnepr foi proibida judicialmente de utilizar as aeronaves, segundo a agência Interfax a empresa não obedeceu às ordens da justiça e manteve a operação regular e a instalação de novos sistemas nos aviões, incluindo o ADS-B. O tribunal do distrito de Podolsky, em Kiev, emitiu uma ordem judicial para a polícia nacional da Ucrânia apreender e proibir a operação de cinco An-124-100 da Volga-Dnepr. Segundo a alegação a aeronavegabilidade das aeronaves violavam às regras da ICAO e ignoravam as normas emitidas pela Antonov.

Volga-Dnepr instalou ABS-B e modificou sistemas do An-124 sem autorização da Antonov

A Antonov Airlines, empresa subsidiária da Antonov Design Bureau, responsável pelo projeto do An-124 nos anos 1970, alegou que a infração comprometia a segurança de voo, visto que as modificações não estavam sendo realizadas através de um boletim emitido pelo fabricante.  

Na ocasião a Volga-Dnepr perava um total e doze aviões da família An-124, frota reduzida para oito aeronave em 2019. A expectativa é que parte das aeronaves em serviço sejam armazenadas até a reestruturação da companhia e revisão dos acordos operacionais.

Na Rússia a Volga-Dnepr recebeu uma autorização da agência de aviação do país para conversão dos An-124 que poderão decolar com até 150 toneladas de carga, ante as 120 toneladas padrão. Atualmente dois aviões foram convertidos para o novo padrão, com outros três devendo ser modificados nos próximos meses.

A disputa com a Antonov Desing Bureau ainda se estende a questões políticas, visto que a empresa ucraniana ainda é uma das companhias aéreas contratadas pela Otan para transporte estratégico da aliança.

A Volga-Dnepr afirmou que no primeiro semestre do ano, o volume de negócios das empresas do grupo, incluindo a AirBrigeCargo e Atran registraram redução operacional, atingindo para 2.586 bilhões de toneladas-quilômetro, número 6% inferior ao esperado e 20% menor que orçado no planejamento. A empresa alega que a crise envolve às sanções, pelas quais a OTAN se recusou a solicitar o transporte da empresa por sua origem russa. Em setembro a companhia atrasou o salário dos funcionários e solicitou que todos escrevessem uma declaração aceitando o cancelamento dos pagamentos até meados de janeiro de 2020.

A companhia espera reverter a situação de todo o grupo nas próximas semanas, e promete uma reestruturação operacional para o início de 2020. Atualmente a frota é composta pelos Antonov An-124 e Ilyushin Il-76A, além dos Boeing 737-800BCF, 747-400F e 747-8F, os três últimos operados pela subsidiária AirBridgeCargo.

ASSINE AERO MAGAZINE COM ATÉ 76% DE DESCONTO

Por Edmundo Ubiratan | Imagem: Divulgação

Publicado em 23 de Outubro de 2019 às 16:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 737-800 Antonov An-124 Volga-Dnepr Rússia Ilyushin 747