Manutenção mal executada

Investigadores encontram peça de tamanho diferente em Boeing acidentado

Componentes do trem de pouso do 757 apresentavam diâmetro diferente do estabelecido em manual


Boeing 757 da Icelandair sofreu uma falha catastrófica após o pouso em Reykjavík

Os investigadores encontraram componentes incorretos instalados no trem de pouso do Boeing 757 que se acidentou em Reykjavík, no dia em 7 de fevereiro. Uma análise mostrou que as porcas e roscas foram produzidas em um diâmetro menor que o especificado pelo manual de manutenção.

Durante o pouso, após tocar a pista, o suporte lateral do trem de pouso principal se desprendeu do suporte, levanto ao colapso do sistema. Este suporte se conecta ao trem de pouso por meio de uma rosca, que de acordo com a autoridade de investigação da Islândia, foi submetida a uma redução no diâmetro por duas vezes durante trabalhos de manutenção, realizados em 2008 e 2019, o que exigiu a fabricação de uma porca especial de tamanho menor.

LEIA TAMBÉM

Não é raro durante processos de manutenção ser necessário refazer roscas e porcas, que sofrem desgastes naturais durante a operação de qualquer equipamento. Todavia, a remanufatura é exigido o cumprimento de parâmetros mínimos, que constam em manuais de manutenção fornecidos pelos fabricantes das aeronaves.

As autoridades islandesas recomendaram a realização de uma verificação de segurança em mais quatro aeronaves atendidas pela Landing Gear Technologies, empresa responsável por realizar o trabalho manutenção do trem de pouso do 757 acidentado, para garantir que as peças fabricadas atendam aos requisitos de projeto.

Os investigadores apuraram que a porca do trem de pouso era “muito grande” para as suas roscas giratórias que tinham um tamanho menor. As gravações da conversa dos pilotos momentos antes do incidente mostraram que a tripulação não tinha conhecimento de nenhum problema no trem de pouso da aeronave, e as informações do gravador de dados do voo não revelaram qualquer sobrecarga durante o pouso.

Os investigadores descobriram que a porca giratória e uma arruela associada estavam ausentes após o colapso, sendo localizadas perto do ponto de aterrissagem da aeronave, um parafuso de trava para a porca também foi encontrado no local.

Foi emitido uma recomendação provisórias de segurança sobre verificações de trem de pouso para a Icelandair e seu operador associado Cabo Verde Airlines. O laudo final do acidente depende da normalização dos trabalhos paralisados pelo coronavírus.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 8 de Abril de 2020 às 15:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 757 Islandia trem de pouso Reykjavik Berlim incidente aéreo acidente