Industria aeronáutica canadense se reinventa

Investidores canadenses revivem a de Havilland Canada

Um dos mais tradicionais nomes da indústria aeronáutica voltará a produzir aviões


A tradicional marca deHavilland Canada, extinta em 1992, renasce após reestruturação da indústria aeronáutica canadense. A gestora de investimentos no setor aeroespacial do Canadá, a Longview Aviation Capital, oficializou o retorno da marca, agora designada como de Hadvilland Aircraft of Canada Limited.

A Longview conclui a absorção do controle de todo o programa Dash 8, incluindo as séries 100, 200 e 300 e o programa Q400 da Bombardier. O acordo também incluí os direitos ao nome e marca registrada de Havilland.

A empresa será responsável pela produção das aeronaves comerciais turbo-hélices Dash 8, da série Q. A gestora de investimentos, que é proprietária da Viking Air, adquiriu uma série de projetos originalmente produzidos pela de Havilland Canada, como o turbo-hélice Twin Otter, os aviões bombaeiros CL-215, CL-215T e CL-415, assim como toda a série DCH-1 até DCH-7.

LEIA TAMBÉM

As séries DCH-1 a DCH-7, como o Twin Otter, eram modelos de aeronaves que a Viking Air realizava uma série de manutenções e revisões. Após negociação com a Bombardier, todos os projetos foram adquiridos pela Longview, que retomou a produção do Twin Otter, que recebeu algumas melhorias e modernizações. Mais tarde, a série de aviões bombeiros também foi adquirida, ampliando o portfólio da companhia.

“Estamos comprometidos com uma abordagem de negócio que não ocasionará a interrupção na produção, entrega ou suporte dessas aeronaves”, comentou David Curtis, CEO da Longview Aviation Capital Cor. “Com toda a linha de produtos de Havilland reunida sob a mesma bandeira pela primeira vez em décadas, esperamos trabalhar com clientes, fornecedores e funcionários no fechamento da transação para determinar as oportunidades futuras”.

FOCO NA AVIAÇÃO DE NEGÓCIOS

Nos últimos anos a Bombardier vendeu seus programas comerciais CSeries e Q Series

Recentemente a Bombardier iniciou uma reestruturação completa de sua unidade aeronáutica, vendendo o programa CSeries, para a Airbus, e o Q-Series, para a Longview, focando seus negócios na aviação de negócios, ainda que ainda detenha o projeto CRJ, o jato regional canadense.

A expecativa da Longview é que com a reestruturação do grupo e a retomada da tradicional marca de Havilland Canada, será possível reposicionar os modelos turbo-hélices da companhia. Considerados sem competidores diretos, o Q Series do Dash 8 é o mais rápido turbo-hélice regional da atualidade, além de poder operar em locais altos e quentes sem maiores restrições.

LEIA TAMBÉM

Após várias décadas a marca de Havilland Canada voltará a ser utilizada por sua linha de turbo-hélices

Contratualmente a Longview continuará a operar de forma independente na antiga unidade da de Havilland, localizada em Downsview, Ontário. A planta industrial de Downsview foi vendida pela Bombardier no início deste ano, mas sob os termos de um contrato e uma licença da Bombardier, a produção permanecerá no local até pelo menos 2021. Como parte da transação a Longview também espera receber mais de 1.000 funcionários da Bombardier atualmente associados à produção, suporte e vendas do programa Dash 8.

A transação está sujeita às condições das autoridades canadenses e a transação deve ser concluída até o segundo semestre de 2019.

Coincidentemente a reestruturação da indústria aeronáutica canadense, com a venda de ativos da Bombardier, ocorre em paralelo a movimento similar envolvendo a Embraer. Durante mais de duas décadas Bombardier e Embraer disputaram os mesmos mercados na aviação comercial e nichos específicos na aviação de negócios.

Coincidentemente 

ASSINE AERO MAGAZINE COM DESCONTO

Por Edmundo Ubiratan | Fotos: Divulgação

Publicado em 4 de Junho de 2019 às 13:00


Notícias Bombardier CSeries Airbus A220 Embraer Boeing E-Jet CRJ Boeing Brasil Commercial QSeries Viking