Gigante adormecido

Empresa aérea russa suspende voos com o Antonov An-124

Decisão ocorreu após acidente grave envolvendo um dos aviões da frota no último dia 13 de novembro


Volga-Dnepr conta atualmente com com oito An-124 na frota

Os Antonov An-124 da companhia aérea cargueira russa Volga-Dnepr deverão permanecer fora de serviço até que a empresa conclua um processo de revisão de seus protocolos de segurança operacional.

A Volga-Dnepr é a principal operadora global do An-124, com oito aviões na frota, e tomou a decisão de paralisar os voos com o gigante após uma das aeronaves da frota sofrer um acidente no último dia 13 de novembro, em Novosibirsk, no extremo oriente russo.

A companhia protocolou uma carta de notificação as autoridades de aviação da Rússia afirmando a suspensão temporária de todos os voos com o cargueiro. “Esta é uma decisão bem pensada. Queremos ser preventivos e demonstrar que somos uma companhia aérea responsável, onde a segurança vem em primeiro lugar ”, explicou Konstantin Vekshin, diretor comercial.

A Volga-Dnepr iniciou também uma investigação independente, buscando avaliar os fatos que levaram um de seus aviões a realizar um pouso de emergência após a colisão com pássaros durante a decolagem. Chamou atenção das autoridades, e da própria companhia aérea, o fato do avião não ter conseguido parar nos limites da pista e os severos danos causados pelo colapso do motor.

Aeronave sofreu severos danos estruturais após colapso do motor

Usualmente a colisão com pássaros causa danos graves ao motor, mas raramente leva a completa destruição do propulsor e danos na fuselagem. Especialistas em segurança destacam que os destroços do motor criaram uma série de avarias graves nas asas e fuselagem, demonstrando a necessidade de reavaliar diversos pontos do projeto e de segurança. Além disso, um dos motores não pode ser desligado por três horas após o acidente, elevando a preocupação quanto ao projeto do motor.

Anos atrás uma falha catastrófica em um motor do A380 também levou a revisão de procedimentos. Na ocasião o avião teve inclusive uma das longarinas das asas danificada durante o evento.

O acidente não deixou vítimas, mas foi considerado grave pelas autoridades e pela própria Volga-Dnepr. “Precisamos escutar a autoridade de aviação russa e o fabricante dos motores. Precisamos ver as diretrizes e os resultados da investigação. Esperamos que esse processo comece a qualquer momento”, destacou Vekshin.

Atualmente a empresa conta com cerca de sessenta motores Progress D-18T, produzidos pela ucraniana Motor Sich, que deverão ser inspecionados antes de serem considerados aptos a operar novamente. Uma revisão de projeto não é descartada, o que tornaria o processo mais longo e complexo.

Porém, uma eventual mudança no projeto terá de ser realizada pela Motor Sich, que por ora, não foi notificada pelas autoridades sobre nenhuma anormalidade no desenho do motor. Além disso, não necessariamente a Motor Sich pode atacar uma normativa russa, visto que existe uma série de entraves políticos entre a Rússia e a Ucrânia.

Vale destacar que a suspensão dos voos foi uma opção da própria Volga-Dnepr, não uma norma emitida pelas autoridades de aviação da Rússia. Ainda assim, a empresa aérea sugeriu que a Antonov Airlines, a divisão de transporte da Antonov, também suspendesse os voos com o modelo até uma análise completa do acidente.

Contudo, uma eventual paralisação dos An-124 pelas duas empresas levaria a perda de capacidade de transporte global em um momento de alta demanda por carga aérea em grandes volumes. Ainda assim, a Volga Dnepr espera atender momentaneamente o mercado com seus Boeing 747F, mas avalia a necessidade de primeiro solucionar as questões do An-124 antes de retomar seus voos.

  • Se inscreva no canal da AERO Magazine no YouTube clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 25 de Novembro de 2020 às 17:10


Notícias notícias de aviação aeronave avião Boeing 747 747-8F Antonov Volga-Dnper An-124 acidente despalhetamento motor de avião Rússia