Capita estratégico para Dubai

Emirates poderá receber socorro estatal para superar crise

Suspensão dos voos coloca em risco sobrevivência da empresa e até mesmo de Dubai


Emirates praticamente suspendeu a totalidade de suas operações e busca solução para a crise gerada pelo COVID-19

A suspenção da maior parte dos voos comerciais no mundo levou a mais profunda crise vista no setor aéreo. A Emirates Airline poderá receber um aporte do governo de Dubai, segundo publicou no Twitter o Sheik Hamdan bin Mohammed.

O objetivo é manter as obrigações da empresa em dia após a paralisação quase completa de suas operações. A Emirates possui uma das maiores malhas internacionais do mundo, tendo na frota apenas o Airbus A380 e o Boeing 777, ampliando assim sua dependência de voos de longo curso, justamente os mais afetados pela pandemia do COVID-19.

LEIA TAMBÉM

“Hoje, renovamos nosso compromisso de apoiar uma história de sucesso iniciada em meados da década de 1980 para atingir seu objetivo de estar no trono da aviação global. O governo de Dubai está comprometido em apoiar totalmente a Emirates neste momento crítico e injetar capital na empresa”, afirmou Hamdan Mohammed, em sua conta no Twitter.

Postagem do Sheik Hamdan Mohammed sobre possível injeção de capital estatal na Emirates Airline

A Emirates é considerada um ativo estratégico para a economia de Dubai, visto que a companhia é responsável por conectar grande parte do mundo através de seu hub no país. O aeroporto de Dubai é a principal porta de entrada de turistas e negócios do emirado, dependendo massivamente das operações da Emirates.

Com mais de 100.000 funcionários, sendo mais de 4.000 pilotos e 21.000 comissários, a Emirates anunciou um completo plano de redução dos custos enquanto estiver com suas operações suspensas. Uma das medidas mais drásticas foi a redução dos salários dos funcionários entre 25% e 50% nos próximos três meses, enquanto os presidentes da Emirates, Tim Clark (que deixará a companhia em junho) e Gary Chapman terão corte de 100% em seus vencimentos base no mesmo período.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 31 de Março de 2020 às 16:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 777 Airbus A380 Emirates Tim Clark Sheik Hamdan bin Mohammed Dubai covid-19 coronavirus