A disputa pela portuguesa


A compra pelo controle da companhia aérea TAP, de Portugal, tem sido uma novela, mas é, ao menos, uma válvula de escape para um mercado cheio de problemas. E até agora na disputa, dois “brasileiros”: o americano David Neeleman, controlador da Azul, e Germán Efromovich, nascido na Bolívia e dono da Avianca. Em jogo, uma empresa com 77 aviões, mais de 1 bilhão de euros em dívidas e a disputa pelo terceiro lugar no mercado brasileiro. Segundo analistas, quem se sagrar vencedor nesse negócio contará com uma grande vantagem sobre o outro: os europeus vindos pela TAP podem encher os voos regionais de ambas as companhias. Mais do que isso, independente do vencedor, o IPO da Azul estaria cada vez mais perto, seja para não perder espaço no mercado diante de uma concorrente fortalecida, seja para aumentar o caixa após a compra. “Ela já demonstrou interesse em abrir capital, mas vai continuar dependendo do momento do mercado”, diz Pedro Galdi, analista da Independent Research.

Por André Jankavski

Publicado em 11 de Junho de 2015 às 00:00


Aeroinvest compra TAP Portugal David Neeleman Germán Efromovich

Artigo publicado nesta revista