Novos ares

Fabricantes ampliam estudos para novos combustíveis e motores

Airbus, GE Aviation e Safran lançam projetos que tentam viabilizar mudanças no transporte aéreo


Airbus espera empregar hidrogênio como combustível padrão na aviação

Duas gigantes da aviação avançaram em seus projetos de descarbonização do setor para os próximos anos ao oficializarem programas voltados para a sustentabilidade das aeronaves e de seus motores. 

A Airbus criou Centros de Desenvolvimento de Emissão Zero (Zedc), no intuito de fabricar de tanques criogênicos de custo competitivo para apoiar o futuro lançamento do combustível ZEROe (em alusão a emissão zero de carbono) no mercado e acelerar o desenvolvimento de tecnologias de propulsão a hidrogênio. Eles ficarão localizados nas bases de Nantes, na França, e Bremen, na Alemanha.

Ambos os centros de pesquisas estarão totalmente operacionais em 2023, permitindo inclusive a construção de tanques de LH2 e o primeiro voo de teste está agendado para 2025.

A GE Aviation lançou um programa de demonstração de tecnologia de motores sustentáveis, em parceria com a francesa Safran, que atua com equipamentos para aeronaves.

A ideia é reduzir o consumo de combustível e de CO2 em 20%, comparado com os motores da atualidade. O chamado CFM Rise (Inovação Revolucionária para Motores Sustentáveis, em inglês) irá avaliar uma variedade de novas tecnologias para futuros motores, que podem entrar em serviço em meados da década de 2030.

Além do programa, ambas as empresas fecharam um acordo com a intenção de liderar o caminho para uma aviação mais sustentável, em linha com o compromisso da indústria de reduzir as emissões de carbono pela metade até 2050.

  • Receba as notícias de AERO diretamente das nossas redes sociais clicando aqui

Por Marcel Cardoso

Publicado em 16 de Junho de 2021 às 21:30


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Airbus GE Aviation Safran hidrogênio