Zero conforto, mas com baixo preço

Boeing 737 MAX-8 200 será certificado em abril nos EUA

Modelo de alta capacidade oferece quase 200 assentos e tem foco nas empresas de ultrabaixo custo


Boeing 737 MAX 200 da Ryanair

Boeing 737 MAX 200 upode levar doze passageiros a mais que o 737 MAX 8 e tem uma saída de emergencia extra 

A Boeing espera obter a certificação do 737 MAX 200 pelas autoridades dos Estados Unidos até meados de abril. O modelo é uma variante do 737 MAX 8, mas com capacidade ampliada para até 197 passageiros, doze a mais que o modelo padrão.

O 737 MAX 200 deverá ser inicialmente pela irlandesa Ryanair, que tem no avião parte de sua estratégia de crescimento no médio prazo. A expectativa inicial era voar com o modelo antes mesmo da pandemia, mas a suspensão das operações da família 737 MAX postergou a certificação.

Para atender a instalação de assentos extras, equivalente a duas fileiras, a Boeing realizou modificações estruturais, incluindo a retirada da galley traseira e a adição de uma saída de emergência.

Com a nova variante de alta densidade de assentos não se espera que os passageiros encontrem conforto nessa configuração, visto que este será a configuração mais “apertada” adotada no 737 MAX 8. A distância entre fileiras será de apenas 71 centímetros, a menor possível e dentro das expectativas quando se trata de uma companhia de ultrabaixo custo.

Neste caso, a Ryanair espera ampliar a oferta de assentos como uma forma de manter sua competitividade tarifária em rotas de alta demanda.

Curiosamente, a Ryanair planeja alterar o nome do avião para Boeing 737-8200 ou 737-8-200, possivelmente como estratégia para evitar a adoção da nomenclatura MAX. Alguns operadores já passaram a nomear sua frota de 737 MAX 8 como 737-8, afastando a imagem negativa criada pelos dois acidentes fatais e ampla cobertura midiática do processo de recertificação.

A EASA, a agência europeia de aviação civil, também deverá certificar o novo 737 MAX 200 em abril, permitindo o início das entregas e posterior operação do modelo para Ryanair.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 25 de Março de 2021 às 16:30


Notícias notícias de aviação aeronave avião Boeing 737 737 MAX 737 MAX 200 Ryanair ultralow cost EASA FAA EUA Irlanda