Auxílio Emergencial

Governo Biden aprova novo socorro ao setor aéreo nos EUA

Auxílio prevê US$ 14 bilhões para manutenção de salários e empregos nas companhias aéreas


Airbus A320 taxiando no aeroporto de Denver

Empresas aéreas dos EUA já receberam mais de US$ 40 bilhões em ajuda federal

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, aprovou um projeto de lei que disponibilizará US$ 14 bilhões (R$ 78,8 bilhões) em ajuda aos funcionários das companhias aéreas dos Estados Unidos.

O montante faz parte do suporte de resgate ao setor aéreo, criado em abril de 2020, mas que teve um adicional aprovado pela Câmara dos Representantes (equivalente a câmara dos deputados no Brasil) e pelo Senado.

O chamado Coronavirus Aid, Relief, And Economic Security (CARES) é um pacote de resgate que inclui diversos setores e agora destinará um fundo emergencial para o “Programa de Apoio à Folha de Pagamento” para as companhias aéreas. O valor inclui mais US$ 1 bilhão para funcionários, incluindo o pagamento de salários e benefícios.

O projeto também reserva US$ 3 bilhões em fundos para funcionários de fabricantes do segmento aeroespacial.

Assim como ocorreu com as medidas anteriores, as companhias receberão o auxílio serão proibidas de demitir funcionários até o final de setembro.

Ao longo de 2020 o governo dos Estados Unidos aprovou duas leis de alívio durante a pandemia, que forneceram um total de US$ 40 bilhões (R$ 224,4 bilhões) para trabalhadores de companhias aéreas.

O pacote total de alivio da pandemia aprovado pelo governo norte-americano passa de US$ 1,3 trilhão (R$ 7,29 trilhões), valor equivalente ao Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que em 2020, foi de R$ 7,4 trilhões.

Por Marcel Cardoso

Publicado em 15 de Março de 2021 às 10:00


Notícias