Dragão chinês

Avião chinês conclui testes em temperatura extremamente baixa

Comac finalizou importante etapa da campanha de ensaios em voo do C919


C919 deverá iniciar seus voos comerciais em meados do próximo ano

O fabricante chinês Comac concluiu os seus testes em temperaturas extremamente baixas do C919. O avião que pretende rivalizar com os A320neo e 737 MAX, avança rapidamente na campanha de ensaios, com previsão de ser certificado, dentro dos padrões internacionais, como parte do seu cronograma de certificação.

Os voos de certificação para testes climáticos extremos ocorreram na Mongólia Interior* e foram iniciados no final de dezembro de 2020, exigindo um total de 23 dias de verificações.

A campanha de ensaios em condições de temperatura extremamente baixa serve para atender aos requisitos de certificação e avaliar o desempenho da aeronave e seus principais sistemas, além de possíveis desgastes de componentes externos, o C919 foi submetido a uma temperatura de -35Cº.

Voltado para competir com as principais aeronaves ocidentais no mercado de corredor único, o C919 é a grande aposta da Comac para o mercado interno da China. Oficialmente a intenção inicial é concentrar as vendas entre as empresas aéreas chinesas, que deverão assumir nos próximos anos o protagonismo da aviação mundial.

Ainda assim, a Comac não descarta, em um segundo momento, a possibilidade de vendas para outros países que buscam preços mais competitivos ou que sofram restrições comerciais. Ao concentrar as vendas no mercado interno a Comac ainda terá tempo de estruturar uma vasta rede de suporte e realizar ajustes no projeto e nos aviões de acordo com a realidade de operação.

A expectativa da Comac é que o C919 seja disponibilizado em duas versões, sendo a primeira com alcance máximo de 2.200 milhas náuticas (4.074 quilômetros), voltado para companhias aéreas regionais, e uma segunda variante com alcance de 2.999 milhas náuticas (5.554 quilômetros) que devem substituir aviões de geração anterior como, por exemplo, os A320 e 737 Next Generation.

A previsão é que os primeiros C919 estejam em serviço ativo no próximo ano, dando início a uma nova era na indústria aeronáutica chinesa.

* Região autônoma ao norte da China a partir do Internacional Hulunbuir Dongshan

Por Gabriel Benevides

Publicado em 21 de Janeiro de 2021 às 14:50


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Comac C919 China Mongólia Airbus Boeing A320 737