Após crise e pandemia a mexicana Interjet luta pela sobrevivência

Empresa espera que reestruturação proposta seja aprovada por seus credores


Sukhoi Superjet da Interjet

Por um curto período os Sukhoi Superjet 100 foi o único avião em serviço na Interjet

No dia 26 de abril, será realizada assembleia geral extraordinária para discutir o pedido de concordata da Interjet, que faz parte de uma reestruturação financeira total da empresa aérea mexicana.

No final de 2021, a companhia parou de operar devido à grande crise que atravessa. Embora a intenção da nova administração seja reativar voos em junho ou julho, o primeiro passo é entrar em estado de falência de acordo com a lei mexicana.

Em consequência da inviabilidade da Interjet, os locadores das aeronaves pertencentes à frota da empresa solicitaram a devolução de 66 aeronaves, todas do fabricante europeu Airbus. As que não foram retiradas da companhia estavam sem condições navegabilidade.

Como resultado da decisão dos locadores, a empresa foi forçada a reativar a frota SSJ100, da Sukhoi, para cumprir seus compromissos e operar uma rede mínima de rotas. Porém, a decisão estratégica não se mostrou resultados e em 11 de dezembro de 2020, a Interjet suspendeu as operações por tempo indeterminado.

A Assembleia Geral Extraordinária será realizada às 11h00 (hora local) na Cidade do México, com objetivo é discutir a entrada em processo de falência segundo a lei mexicana, que é semelhante à lei norte-americana (Capítulo 11), mas com processos mais complicados. As únicas duas formas de sair do processo são a reorganização financeira ou a cessação das operações.

Por Martin Romero

Publicado em 12 de Abril de 2021 às 10:30


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Interjet Sukhoi Superjet SSJ100 México pandemia Airbus