Destaque dos BRICS

Índia deverá se tornar o segundo maior mercado da aviação comercial

Mais de 2.200 aeronaves devem chegar ao país nos próximos vinte anos


Boeing 787 da Air India

Mercado de aviação regular na Índia poderá se tornar o segundo maior do mundo, atrás da China

A Índia deverá necessitar de 2.230 aeronaves nos próximos vinte anos, quadriplicando sua frota atual. O estudo faz parte de um relatório de perspectiva de mercado comercial (CMO) divulgado pela Boeing.

O crescimento do mercado de aviação indiano tem sido constante nas últimas décadas, podendo se tornar o segundo maior do mundo, atrás da China. Se destaca o fato de 79% dos aviões serem para ampliação da frota e apenas 21% destinado a renovação de modelos em serviço.

Do total de aeronaves estimadas para a Índia, 1.960 são aviões de um corredores e 260 de dois corredores, além de um considerável número de modelos regionais.

O documento também cita que entre as aeronaves de fuselagem estreita, o Airbus A320 e o 737 MAX continuarão sendo os favoritos das companhias aéreas indianas, ainda que exista a previsão de no curto prazo estarem disponíveis o russo MS-21 (MC-21, na sigla no alfabeto cirílico) e o chinês C919.

Atualmente, a Airbus domina o mercado indiano entre as aeronaves média, presente em seis companhias aéreas locais. Já o segmento de aeronaves de grande porte, a Boeing lidera, com 39 aeronaves das famílias 747, 777 e 787. Segundo a fabricante norte-americano, a Índia irá retomar com rapidez a sua trajetória de crescimento no setor, apesar de 2020 ter fechado com uma forte queda no tráfego, relacionado a crise sanitária global.

Entre os países do chamado BRICS, a Índia desponta ao lado da China como líderes do bloco, mantendo destaque de forma isolada da Rússia, Brasil e África do Sul.

Por Marcel Cardoso

Publicado em 12 de Abril de 2021 às 09:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Boeing Airbus A320 737 777 787 747 Air India Índia Brasil Comac C919 MC-21 Irkut