Sem as mãos

Airbus realiza os primeiros abastecimento em voo automáticos

Sistema de contato e transferência de combustível é feito de modo totalmente automático


Sistema de reabastecimento em voo da Airbus poderá efetuar todo procedimento de forma autônoma

A Airbus realizou com sucesso a primeira operação totalmente automática de reabastecimento ar-a-ar (A3R) feito com um sistema de lança, ou flying boom (como o sistema é conhecido em inglês) utilizando um A330 MRTT.

O fabricante europeu realizou a campanha de ensaios em voo sobre o Oceano Atlântico, tendo a participação de um caça F-16 da força aérea portuguesa (FAP) e o A330 MRTT equipado com o sistema A3R.

LEIA TAMBÉM

Os testes bem-sucedidos são um importante passo para viabilizar a produção em série dos sistemas A3R e sua implementação A330 MRTT, principal avião de reabastecimento e transporte logístico desenvolvido pela Airbus.

Com um total de 45 horas de voo e 120 contatos secos, onde não é feita a transferência de combustível, a campanha de ensaios conseguiu cobrir todo o envelope de reabastecimento aéreo previsto. De acordo com a Airbus o A330 MRTT consolidou a maturidade de suas capacidades junto ao F-16, prevendo agora iniciar a fase de certificação em 2021.

A330 MRTT de Singapura realiza reabastecimento através de lança em um F-15, novo sistema se diferencia por automatismo

“A conquista deste importante marco para o programa A3R destaca o excelente desenvolvimento do roteiro de capacidade do A330 MRTT. Nossos agradecimentos especiais a força aérea portuguesa por seu apoio contínuo e ajuda nesse desenvolvimento crucial”, disse Didier Plantecoste, chefe dos programas de tanques e derivados da Airbus.

O sistema A3R não requer equipamento adicional na aeronave receptora, visto que os modelos com tal capacidade, com o F-16, contam com o sistema de série. A vantagem do uso de lança de reabastecimento é a redução da carga de trabalho do operador de reabastecimento aéreo (ARO), melhorando a segurança e otimizando a taxa de transferência de combustível. O sistema mais simples e barato de sonda-e-cesta (probe-e-drogue) é usualmente utilizados pelas forças aéreas dos países europeus, mas oferecem taxas de transferência de combustível menores e exigem maior carga de trabalho dos ARO e pilotos. Além disso, alguns novos aviões, com o F-35 que conta apenas com sistema de reabastecimento por lança, começam a entrar em operação na Europa.

A Airbus espera amadurecer a tecnologia até atingir recursos totalmente autônomos para este tipo de operação aérea. Uma vez que o sistema é ativado pelo operador, o A3R alinha a lança automaticamente e mantém a disposição entre a ponta da lança e o receptáculo com precisão de alguns centímetros. O sistema ainda garante o alinhamento e estabilidade adequada, monitorados em tempo real para manter a distância segura entre o avião tanque e a aeronave receptora, o que determina o momento ideal para estender o feixe telescópico para alcançar a conexão entre ambos e efetuar a transferência de combustível. A retração do sistema após o abastecimento obter sido concluído também é automático, tendo o ARO apenas a função de monitorar e planejar a operação.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 20 de Abril de 2020 às 14:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Airbus A330 A330 MRTT F-16 Força Aérea Portuguesa Singapura F-15 revo F-35