Reestruturação pós-pandemia

TAP Air Portugal não fará mais manutenção de aeronaves no Brasil

Após ser estatizada empresa iniciou processo de corte de gastos e reestruturação


Airbus A320 da TAP em manutenção

Manutenção dos aviões da TAP será concentrada em Portugal e unidade brasileira será desativada

A partir do próximo ano a TAP Air Portugal não fará mais a manutenção de suas aeronaves no Brasil. Os serviços são feitos atualmente no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, onde a empresa portuguesa conta com um complexo centro de serviços, conhecido internamente como M&E Brasil.

Segundo anúncio feito pelo presidente do conselho de administração da companhia, Miguel Frasquilho, o processo será feito apenas em Portugal. A TAP busca reduzir seus custos e enxugar sua estrutura. Atualmente a companhia voltou a ter controle majoritariamente estatal, revertendo a fase de ampliação dos negócios e investimentos.

Em dezembro de 2020, o ministro da infraestrutura e habitação do país, Pedro Nuno Santos, já havia dito que a M&E Brasil não era uma empresa a qual o Governo tinha intenção de manter. O plano na ocasião era vender o negócio e concentrar todos os serviços técnicos em Portugal.

Em apresentação do plano de reestruturação da companhia aérea à Comissão Europeia. Nuno Santos complementou, à época, que o Governo iria aguardar um momento mais favorável no mercado para tomar uma decisão sobre o processo de venda.


No ano passado, a TAP retomou a ser administrada pelo Estado português, após cinco anos sendo gerida pela iniciativa privada, que vendeu boa parte das ações da companhia . Ao adquirir o controle acionário, em setembro de 2020, Nuno Santos declarou que "A TAP é do povo português para o bem e para o mal". O retorno do controle estatal ocorreu em meio à pandemia e ao endividamento da TAP, especialmente relacionado aos investimentos em frota e restrições operacionais no aeroporto de Lisboa, que ampliam os custos. Antes disso, a União Europeia havia oferecido uma ajuda financeira de US$ 1,46 bilhão (R$ 7,9 bilhões) à companhia.

Além da descontinuidade da TAP ME fora de Portugal, o plano de reestruturação da companhia prevê a redução da frota de aeronaves de 108 para 88, assim como redução de até 30% nos gastos com folha. Contudo, até 2024 são previstos aportes financeiros que podem chegar aos US$ 4,53 bilhões.

Anos atrás a TAP já havia encerrado as operações de manutenção em seu centro de serviços em Porto Alegre, mantendo apenas as instalações do Rio de Janeiro. Os dois centros de manutenção pertenceram até 2005 a brasileira Varig, quando foram adquiridos pela empresa portuguesa.

Por Marcel Cardoso

Publicado em 24 de Fevereiro de 2021 às 11:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Airbus TAP manutenção aeronáutica Galeão Varig Porto Alegre Rio de Janeiro estatal