Fim da linha para os quadrimotores

Quadrimotores da Iberia e British Airways podem não voltar aos céus

Empresas avaliam readequar a oferta a demanda projetada e analisam retirar de serviço frota menos eficiente


Grupo IAG poderá retirar de operação frota de A340 da Iberia e os 747-400 da British Airways

O International Airlines Group (IAG), que controla a British Airways e a Iberia, poderá aposentar antes do previsto a frota de Airbus A340 e Boeing 747. A iniciativa tem sido apontada como uma forma de cortar custos e ajustar a oferta a demanda prevista para os próximos meses.

O IAG planeja remanejar sua frota aposentando aeronaves menos eficientes do ponto de vista do consumo de combustível, o que recai especificamente sobre os quadrimotores, como os 747-400 da British Airways e os A340 da Iberia.

LEIA TAMBÉM

O grupo detém cinco companhias aéreas na Europa (Iberia, British Airways, Vueling, LEVEL e Aer Lingus) e busca uma forma de reabilitar os negócios após a pandemia. Um dos desafios será definir o destino da frota de 31 Boeing 747 e 16 Airbus A340, que deve se tornar ainda mais onerosa para o grupo. Outra dificuldade no planejamento é atrelada ao valor dos aviões, já que ambos os modelos se tornaram depreciados no mercado de usados.

A companhia também analisa a possibilidade de aposentar algumas unidades do Airbus A330 operados pela Aer Lingus, assim como algumas aeronaves de corredor único que forem consideradas menos eficientes.

Acredita-se que muitas das aeronaves da IAG que foram suspensas de maneira temporária não devem mais voltar ao serviço. O grupo também está reavaliando a situação das aeronaves cujos os contratos de leasing devem ser encerrados em 2020 e no próximo ano.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 7 de Abril de 2020 às 14:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 747 747-400 British Airways Airbus A330 A340 Iberia covid-19 coronavirus IAG Aer Lingus