Na rede

Curta nossa página no facebook.com/aeromagazine


CIRRUS VERSUS CESSNA TTX

O TTX tem performance muito melhor.
José Roberto Arcaro Filho

Cessna TTx, mais rápido, acrobático utilitário, não precisa de paraquedas e Garmin G2000 touch. Comandos por barra rígida e sidestick. Muito superior.
Pedro Souza

Cirrus es mas confiable para volar.
Hector Omar

O Cirrus chegou primeiro e ocupou o mercado. Portanto, tem mais liquidez (SR22 aspirado). Além disso, inovou com o paraquedas balístico. Pra quem curte avião pensando em voar, o TTX é mais máquina.
Adriano Rossi

É tanta semelhança...
Tiago Silva

Eu prefiro o Cirrus.
João Arthur

PINTURA STAR WARS NO 787

Veja como a trilogia intergaláctica influenciou a geração de alguns dos principais acionistas da empresa.
Ayres Anastacio

Essa pintura ficou belíssima.
Carlos Elias Daher

Imagine uma alusão ao Darth Vader?
Matheus Ferretti

CONCORDE VOLTARÁ A VOAR?

Voar de Concorde era um daqueles sonhos meus que foram desfeitos. E não é que a vida dá uma segunda chance?
Paulo Mario

Eu ainda me lembro do som dos motores quando eu o vi aqui no Brasil.
Wagner Botezelli

Tomara que volte.
Daví Maciel

Se eles realmente querem fazer voar o Concorde que estava em Orly, boa sorte, porque ele vai dar muito trabalho. Ele ficou anos ao relento, sem a mínima manutenção de conservação mecânica, apenas estética. A questão vai muito além de dinheiro.
Raphael Francisco Puttini

MAKS 2015

AERO Magazine foi a única revista brasileira especializada em aviação a cobrir em tempo real o MAKS 2015, o salão de aeroespaço e defesa que ocorre a cada dois anos em Moscou. As postagens no Facebook alcançaram  mais de 250 mil pessoas em apenas 3 dias.

BOMBOU NA REDE

As primeiras imagens divulgadas do A350 XWB com pintura completa da TAM fizeram sucesso na rede. No Facebook de AERO, duas postagens tiveram um alcance total de mais de 250.000 pessoas e quase 10.000 curtidas.

Da redação

Publicado em 4 de Outubro de 2015 às 00:00


Cartas Cirrus Cessna TTx Star Wars 787 Concorde MAKS 2015

Artigo publicado nesta revista