Urgência

FAB recebe sinal verde para comprar novos aviões

Decisão prevê ausência de licitação para aquisição de novas aeronaves de reabastecimento


Airbus A330 MRTT

Uma das opções cogitadas é a compra de dois Airbus A330 MRTT

O Ministério da Defesa autorizou a Força Aérea Brasileira (FAB) adquirir dois aviões de transporte estratégico e reabastecimento em voo. O despacho decisório dispensou a compra da exigência de licitação e de compensações comerciais, tecnológicas ou industriais.

O documento atende ao chamado Projeto KC-X3, que busca um avião de transporte multimissão de longo alcance e capacidade de ser empregado em missões de reabastecimento em voo.

A intenção do Ministério da Defesa é adquirir duas aeronaves usadas, sob argumento de reduzir o valor das ofertas, mas buscando uma forma de atender as necessidades de requisito operacional da força aérea.

A intenção de adquirir um vetor de longo alcance é antiga, com a FAB desde meados dos anos 2000 buscando um substituto aos então KC-137, derivados do Boeing 707, para este tipo de missão. Os aviões foram aposentados em 2013, sendo substituídos na missão de transporte por um único Boeing 767-300ER, que foi arrendado. Na ocasião o avião chegou ao país sob justificativa de atender a necessidade de apoio aos Jogos Olímpicos.

Segundo o despacho decisório do Ministério da Defesa o argumento central para a dispensa de compensações é a necessidade de enfrentamento a emergência de saúde pública, ampliando a capacidade da FAB que atualmente usa os KC-390, C-130 Hercules, C105A Amazonas (C-295) e outras aeronaves de menor porte no apoio logístico ao combate a pandemia.

“A celeridade na aquisição se justifica, dentre outros motivos, pelo enfrentamento a emergência de saúde púbica e para apoio humanitário”, afirma o documento.

Em janeiro deste ano o presidente Jair Bolsonaro afirmou que estava autorizando a compra de dois aviões de transporte. O anúncio foi realizado em uma transmissão ao vivo pelo YouTube, que afirmava haver recursos, na ordem de R$ 500 milhões, para a compra através de de multas da operação Lava Jato.

“Estamos buscando uma maneira de atender a Força Aérea, são dois aviões de carga Airbus A230*, dois aviões de carga que nós não temos”, disse o Presidente Bolsonaro, citando o modelo como A230, provavelmente se referindo aos A330.

Porém, no mês de março o Ministério da Economia havia negado recursos para a compra de novos aviões.

Especula-se, sem qualquer comprovação documental ou oficial, que o Projeto KC-X3 tem como candidato dois Airbus A330 MRTT, que estão em serviço pela Royal Air Force (RAF), a força aérea real do Reino Unido, e que estariam disponíveis para venda. Em maio de 2019, um dos aviões esteve em Brasília, durante uma viagem oficial, sendo supostamente oferecido para entrega imediata para a FAB.

A FAB também havia planejado no passado adquirir o Boeing 767-300ER convertido para missões de reabastecimento em voo, buscando assim reduzir os custos de aquisição. Por ora, não existe confirmação de qual modelo poderá ser escolhido.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 13 de Maio de 2021 às 13:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Airbus A330 MRTT A330 MRTT FAB Bolsonaro Boeing 767 KC-390 KC-137