Longe do fim

Latam prevê operar com apenas 25% de sua capacidade

Redução da demanda e nova onda da pandemia pressionaram a empresa suspender quase todos os voos


Boeing 787 da Latam Chile

Latam está reestruturando suas operações, incluindo a retirada dos Airbus A350 da frota e a opção pelos Boeing 787

A Latam Airlines anunciou na quarta-feira (14) que irá operar com apenas 25% de sua capacidade em abril, em comparação ao mesmo mês de 2019, após o agravamento da pandemia no país.

Além disso, a retração esperada pela demanda de viagens aéreas, somado as recentes restrições impostas por vários países, inviabilizaram grande parte das operações planejadas.

Segundo o grupo sul-americano, serão cerca de 400 voos diários para 114 destinos em quinze países. Já a Latam Cargo prevê mais de 1.150 voos no mês, grande parte motivado pelo crescimento do transporte aéreo e voos de distribuição de insumos médios e hospitalares.

No Brasil, a companhia irá operar com 27% de sua capacidade, com até 190 voos diários em 72 destinos domésticos, além de nove rotas internacionais com partidas do aeroporto internacional de São Paulo (GRU).

Em março, a Latam Airlines alcançou 59,5% de taxa de ocupação de seus voos, uma queda de 23,3 pontos percentuais em relação ao mesmo mês de 2019. O desempenho no setor de cargas foi 9,1 pontos percentuais superior a dois anos atrás, com uma taxa de ocupação de 67,2%.

Recentemente a Latam anunciou a devolução de toda sua frota de Airbus A350 e a opção por manter em serviço apenas seus Boeing 767, 777 e 787.

A lentidão no combate a pandemia, especialmente em países como p Brasil, continuam pressionando negativamente o resultado das empresas aéreas e a oferta de voos. A expectativa é que uma retomada ocorra apenas em meados de 2022, com plena recuperação prevista para 2023.

Por Marcel Cardoso

Publicado em 15 de Abril de 2021 às 09:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Latam Airbus A350 Boeing 787 767 777 pandemia GRU São Paulo