Novo padrão

Reestruturação da Norwegian Air é aprovada por Tribunal de Oslo

Plano prevê redução das operações e frota composta por apenas 53 aeronaves


Boeing 737-800 da Norwegian Air

Após reestruturação a Norwegian Air vai padronizar sua frota apenas com o 737-800 

A Norwegian Air Shuttle, companhia aérea de ultrabaixo custo da Noruega, conquistou um importante passo para iniciar o seu plano de reestruturação após receber a aprovação do tribunal norueguês e irlandês, além do voto favorável dos credores para a sua reestruturação de dívidas. O processo dará a possibilidade de obter novo aporte de capital para evitar o processo de falência.

O novo plano inclui a redução da frota, passando de 140 para 53 aeronaves, e busca por uma obtenção de capital de 4,5 bilhões de coroas norueguesas (US$ 530 milhões), que contará com o apoio de Oslo para a captação de um terço do valor estipulado. 

Com as contas no vermelho antes da pandemia, a Norwegian Air assistiu a piora de sua situação financeira após a demanda por passageiros durante a crise do coronavírus despencar em 92%. A quase suspensão da demanda gerou um rejuízo de US $1,91 bilhão, fazendo com que a companhia parasse de ofertar rotas de longa distância, assim como optasse por devolver todos os seus Boeing 737 MAX e 787 Dreamliner.

Além disso, a Norwegian cancelou um pedido de 88 aeronaves da Airbus, incluindo trinta A321LR, que seriam usados em voos intercontinentais, especialmente para a costa leste dos Estados Unidos.

A oportunidade de reverter a drástica situação que chegou próxima a ser encerrar as suas operações em definitivo coloca um novo desafio diante da empresa, definir qual será o seu foco. Com a crise a Norwegian Air encerrou grande parte de suas rotas europeias, muitas de elevada demanda, assim como cancelou todas as rotas para as Américas, especialmente os Estados Unidos.

O plano prevê apenas a manutenção da frota de Boeing 737-800, que serão utilizados em rotas europeias. Ainda que sejam aeronaves com menor custo mensal que os 737 MAX, pesa contra o maior consumo de combustível. Por ora, a conta é favorável pelo baixo preço do barril de petróleo no mundo, mas no médio prazo a empresa deverá definir novos planos de frota.

A Norwegian Air agora pretende obter uma nova capitalização e focar suas operações em rotas e horários altamente rentáveis, antes de planejar alçar voos maiores.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 13 de Abril de 2021 às 11:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Boeing 737 787 737 MAX Airbus A321LR Norwegian Air ultrabaixo custo