Novo mundo

Querosene de aviação sintético é criado usando eletricidade e água

Shell e KLM realizaram o primeiro voo real com o novo combustível batizado de e-querosene


Combustível sustentável gerado a partir de eletricidade foi utilizado em um Boeing 737 da KLM

A KLM se tornou a primeira companhia aérea do mundo a utilizar querosene de aviação sintético. O novo combustível é produzido de forma sustentável e deverá proporcionar uma melhor relação nos índices de emissão de poluentes.

O combustível sintético sustentável (SAF, na sigla em inglês) foi produzido pela Shell utilizando como fontes: água, CO₂ e eletricidade gerada de fontes renováveis para a produção do e-querosene. Aliás, o uso da letra “e-” visa destacar ser um combustível criado a partir da eletricidade.

Basicamente o processo consiste em usar o CO₂ capturado do ar como matéria-prima, que em um processo físico-químico possibilita criar uma fonte de energia de hidrocarbonetos, ou seja, um composto formado por átomos de carbono e de hidrogênio.

Um dos desafios da produção na Europa é a forma como é gerada eletricidade no continente, muito ainda dependente de fontes fósseis, como gás. Porém, no caso do e-querosene a Shell empregou eletricidade captada a partir de fontes eólicas, instaladas em seu centro de pesquisas em Amsterdam.

O voo especial aconteceu em janeiro, entre Amsterdam, na Holanda, e Madri, na Espanha. Segundo a KLM, a operação foi realizada por um Boeing 737-800, que foi abastecido com o novo combustível, visando verificar as taxas de emissão e a performance geral dos motores em uma situação real.

Evidentemente, o combustível havia sido amplamente testado em voos simulados, em bancadas de testes, que garantiram sua segurança operacional. O voo real permitiu apenas validar e ampliar o conhecimento no e-querosene.

A Holanda é um dos principais países da Europa na pesquisa, desenvolvimento e aplicação de combustíveis sustentáveis para a aviação. As autoridades esperam tornar o transporte aéreo mais sustentável. O país pretende estimular o uso de SAF em toda a Europa, com objetivo de realizar a migração completa para fontes renováveis até 2050.

Além das pesquisas de SAF, em parceria com a Shell, a KLM prevê se unir as outras startups que viabilize a produção comercial e em larga escala de querosene sustentável sintético. Por exemplo, a startup Synkero anunciou que está colaborando com a cidade Amsterdã, Schiphol,a  KLM e SkyNRG para estabelecer uma fábrica comercial de querosene sustentável sintético no porto de Amsterdã.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 10 de Fevereiro de 2021 às 15:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Shell e-querosene SAF KLM Amsterdã Holanda petróleo