Atinge operadores de todo o mundo

Falha estrutural em motor do A380 obrigará operadores a revisar o conjunto propulsor

Autoridade dos EUA torna mandatória revisão extra após avião da Air France perder parte do motor em voo


Imagem do motor parcialmente destruído após falha catastrófica. Componentes foram encontrados sob o gelo da Groelândia

Após falha estrutural em um dos motores, que se desintegrou em voo, os operadores do A380 deverão revisar os propulsores GP7200, da Engine Alliance. A norma foi emitida pela FAA, a autoridade de aviação civil dos Estados Unidos, que através de uma Diretriz de Aeronavegabilidade (AD) tornou mandatório uma inspeção referente a rachaduras e desgastes nos motores GP7200.

O documento foi emitido após a investigação referente a um motor GP7200, instalado em um A380 da Air France, perder parte de sua estrutura em pleno voo, em 2017. Na ocasião a seção do fan se desintegrou, gerando o colapso de outras partes do sistema.

LEIA TAMBÉM

Após uma longa busca os principais componentes foram encontrados em julho, em uma região isolada da Groelândia, já sob o gelo. A inspeção mostrou que houve falha estrutural no cubo do fan, que ocasionou o incidente. A diretriz torna obrigatório todos operadores do A380 equipados com o GP7200 realizarem uma série de novas inspeções antes de sobrevoarem o espaço aéreo dos Estados Unidos. Com isso, a norma se torna global, visto que uma AD se torna usualmente mandatória em todos os países.

ASSINE AERO MAGAZINE COM DESCONTO

Por Edmundo Ubiratan | Imagens: Divulgação

Publicado em 18 de Agosto de 2019 às 17:39


Notícias Airbus A380 Air France GP7200 Engine Alliance Groelândia