O sonho acabou

Fabricante de futuro avião supersônico encerra atividades

Dificuldades de obter recursos financeiros levou a Aerion desistir do projeto antes mesmo de construir a primeira aeronave


Avião AS2 era evolução de projeto iniciado há quase vinte anos

O futuro avião supersônico voltado para a aviação executiva vai continuar um sonho distante. A Aerion Corporation, que desenvolvia o avião AS2, previa iniciar a produção em meados de 2023, com a primeira entrega ocorrendo em 2027.

O bilionário Robert Bass, fundador da empresa, disse que está cancelando o projeto e encerrando as atividades da Aerion após não conseguir obter fundos suficientes para começar a construir a primeira aeronave.

“No ambiente financeiro atual é extremamente desafiador obter as exigências de capital programadas e necessárias [para concluir o projeto]”, afirmou a Aerion em nota.

A empresa fundada em 2002, passou quase duas décadas desenvolvendo tecnologias diversas para viabilizar uma aeronave executiva capaz de voar acima da velocidade do som, com emissão de ruído e poluentes próximos dos modelos subsônicos.

Uma das soluções, inclusive patenteada, foi batizada como boomless cruise, ou cruzeiro sem estronto (em tradução livre) que utilizava avançados estudos de escoamento de fluídos e tecnologias aerodinâmicas de última geração.

Um dos entraves dos voos supersônicos é o chamado estrondo sônico, que pode afetar a qualidade de vida nas áreas sobrevoadas e dependendo da altitude causar extensos danos no solo, como quebra de janelas, destelhamento de imóveis, entre outros.

Ao longo de quase vinte anos a Aerion trabalhou em parceria com diversos fabricantes renomados, como a Airbus, Lockheed Martin, e mais recentemente com a Boeing e GE Aviation. Todavia, os desafios de viabilizar economicamente viável se tornou mais complexo que encontrar soluções técnicas para tornar o voo silencioso e operacionalmente acessível.

O AS2 deveria ser um avião com capacidade entre oito e doze lugares, com alcance velocidade de cruzeiro de Mach 1.4 (aproximadamente 1.700 km/h) e alcance de até 10.000 km.

Aerion AS3

Aerion esperava que o AS3 seria um avião comercial capaz de voar acima de 4.000 km/h

No início do ano a Aerion anunciou que construiria sua unidade industrial em Melbourne, na Flórida, com aporte de US$ 375 milhões. Inclusive, a cerimônia contou com a presença do governador do estado, Ron DeSantis, que estava confiante no projeto.

Em abril, a Aerion anunciou também o AS3, um avião comercial supersônico, voltado para rotas de baixa densidade, mas capaz de voar acima de Mach 4 (aproximadamente 4.930 km/h) por 12.900 km, com cinquenta passageiros a bordo. Embora com uma capacidade menor que o lendário Concorde, que tinha o dobro de assentos, o AS3 prometia voar duas vezes mais rápido. O projeto estava em fase inicial de estudos, mas prometia ser entregue até o final da década de 2030.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 21 de Maio de 2021 às 22:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Aerion AS2 AS3 Concorde Boeing Lockheed Martin GE Aviation Airbus supersônico