Volta aos céus

Europa vai realizar testes de certificação do 737 MAX

Autoridades europeias esperam iniciar validação das mudanças de projeto ainda em setembro


Testes em voo conduzidos pela EASA serão realizados no Canadá

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

A agência de segurança da aviação da União Europeia (EASA, na sigla em inglês), está trabalhando na validação dos dados para recertificação do 737 MAX ainda este ano. Estão sendo avaliados o processo de redesenho dos sistemas do avião, incluindo a atualização de software de controle de voo, revisão nos procedimentos de cabine e reformulação da fiação interna em alguns setores da aeronave.

A EASA está verificando a maturidade geral do processo de alterações do projeto do avião e validando os dados para permitir a Boeing prosseguir com os testes finais de voo, liberando assim o 737 MAX para receber a certificação final. Os trabalhos estão sendo conduzidos em cooperação com a FAA, a agência de aviação civil dos Estados Unidos, e a Boeing.

Embora a Boeing ainda deva realizar algumas ações gerais para poder concluir o processo de reengenharia, a EASA avalia que a maturidade geral do novo projeto do avião é suficiente para avançar com a certificação.

O processo sofreu alguns contratempos por conta das restrições impostas pela covid-19, incluindo viagens entre a Europa e os Estados Unidos. A EASA informou que os testes em simulador acontecerão a partir de amanhã (1º de setembro), em instalações existentes no aeroporto de Gatwick, em Londres.

Os testes reais em voo devem iniciar no dia 7 de setembro, em Vancouver, no Canadá, com a possibilidade de a aeronave não ter que se deslocar para a Europa. Um dos motivos é justamente as restrições ainda existentes por conta da pandemia.

A notícia é vista como um alívio por parte da Boeing, que desde março de 2019 viu seu principal avião ser proibido de voar em todo o após se envolver em dois acidentes fatais com intervalo inferior aos 6 meses, deixando 346 vítimas.

Após um longo e minucioso processo de engenharia, a Boeing e as autoridades de aviação em todo o mundo acreditam que todas as potenciais falhas gerais do avião foram completamente sanadas.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Gabriel Benevides

Publicado em 31 de Agosto de 2020 às 08:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 737 737 MAX 777X MCAS acidente aéreo FAA EASA certificação Canadá Londres Vancouver