Marca não foi abalada

Ethiopian acredita que acidente com 737 MAX não abalou confiança na empresa

Empresa etíope mantém investimentos e trabalha junto autoridades e a Boeing na investigação da tragédia


Ethiopian Airlines continua modernizando a frota, incluindo o Airbus A350 XWB

Após registrar um dos mais graves acidentes da história recente, com a queda de um 737 MAX 8, a Ethiopian Airlines diz confiar no potencial de sua marca. Em entrevista a ATW, durante o encontro anual da Iata, que ocorre em Seul, o CEO do grupo Ethiopian Airlines, Tewolde Gebremariam, disse não ver motivos para o mercado desconfiar da companhia.

“Nossa marca ainda é muito forte. Mas até agora não calculamos todos os feitos financeiros, incluindo os nossos quatro 737 MAX restantes” afirmou Gebremariam. A empresa ainda não avaliou um plano para reintroduzir o 737 MAX em operação, o que deverá ocorrer assim que a autorização para uso voltar a ser emitida.

Acidente com o 737 MAX colocou a companhia etíope no centro das atenções

“Como dissemos, a Ethiopian Airlines será a última companhia aérea a levar o MAX de volta ao serviço. Isso porque temos que fazer muitas análises e avaliações por conta própria e depois decidimos”, disse o executivo.

A empresa embora trabalhe em estreita colaboração com as autoridades aeronáuticas e com a Boeing, deverá postergar a volta do modelo aos céus, visando solucionar uma série de questões em aberto. O objetivo é verificar todos os procedimentos e operação do 737 MAX. Gebremariam também enfatizou que o relacionamento de longa data com a Boeing permaneceu forte, não estando a companhia aérea à procura de um novo modelo de aeronave produzido por outro fabricante. “Estávamos muito ocupados lidando com as consequências do acidente. Não temos tempo para investigar outros modelos de aeronaves e a Ethiopian continuará a operar o 737-800”, disse.

Além disso, a Ethiopian Airlines está recebendo seus primeiros Airbus A350-900, que devem voar nos principais destinos da empresa, que deve adicionar a sua malha voos para Houston, nos Estados Unidos, assim como China e novos destinos europeus.

Por Santiago Oliver | Fotos: Divulgação

Publicado em 5 de Junho de 2019 às 14:57


Notícias Ethiopian Airlines Boeing Airbus 737 MAX 737 A350 XWB A350 acidente