Aviação militar

Compra de caças para FAB é adiada

Governo justifica decisão com dificuldades econômicas


A compra de caças de combate para renovar a frota da Força Aérea Brasileira (FAB), em pauta desde o governo Lula, foi adiada mais uma vez. Agora, a justificativa são as dificuldades econômicas. A afirmação foi dada pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, em entrevista ao jornal americano Wall Street. Na entrevista, o ministro diz que o projeto não foi abandonado e que haverá uma decisão no momento oportuno. "Prefiro não fornecer uma data", declarou Amorim. "A situação econômica tomou uma direção menos favorável que o previsto, e isso requer prudência", complementou. A expectativa era que a decisão pela compra dos novos caças se desse ainda este ano. Estão na briga pelo fornecimento das 36 aeronaves os franceses da Dassault Aviation com seu Rafale, os suecos da Saab com o Gripen, e os americanos da Boeing com o F/A-18 Super Hornet. O contrato é avaliado em US$ 5 bilhões.
Da Redação

Publicado em 10 de Agosto de 2012 às 12:54


Notícias

Artigo publicado nesta revista

Titulo

AERO Magazine 219 · Agosto/2012 · Titulo