Apetite por cargas

Em meio a pandemia a China Airlines amplia frota de aviões

Empresa aérea recebeu seu primeiro Boeing 777 cargueiro, permitindo ampliar a oferta de transporte


Boeing 777F da China Airlines

Boeing 777F deverá ampliar capacidade da China Airlines especialmente nas rotas para a América do Norte

A China Airlines incorpotou oficialmente hoje (15) o seu primeiro Boeing 777F, ampliando sua oferta em um momento de grande demanda por espaço de carga em aviões. A pandemia acelerou o setor cargueiro, que vinha sofrendo com a retração da economia global, mas encontrou uma nova realidade em 2020.

Com o recebimento do primeiro 777F, de seis encomendados, a empresa aérea de Taiwan se tornou oficialmente o vigéssimo operador do maior cargueiro bimotor do mundo. Com planos em 2021 de aumentar a sua capacidade no transporte de cargas em 15%, a China Airlines pretende iniciar as operações com o 777F nas rotas que conectam Taipei, capital de Taiwan, com a América do Norte, mercado considerado chave e com forte demanda.

"A demanda de carga aérea aumentou devido à pandemia global e desempenhou um papel crítico na manutenção da lucratividade de nossa companhia aéreas apesar da queda no tráfego de passageiros", disse Hsieh Su-Chien, presidente da China Airlines.

A chegada do novo avião aconteceu durante as comemorações do 61º aniversário da China Airlines. A companhia aérea deverá receber mais cinco aeronaves do modelo como parte de um pedido anunciado no Paris Air Show 2019.

"A eficiência e a capacidade do 777F nos permite modernizar nossa frota de cargueiros enquanto poderemos abrir novos mercados potenciais. Estamos ansiosos para fornecer serviços de classe mundial aos nossos clientes", acrescentou Su-Chien.

A versão cargueira do 777 oferece um alcance de 4.970 nm (9.200 km) e pode carregar uma carga útil máxima de 102.020kg. A China Airlines pretende utilizar a elevada capacidade do avião ao mesmo tempo que reduz o número de paradas durante voos, evitando as taxas de pouso associadas em rotas de longa distanciam, assim como reduzirá o consumo de combustível em toda a viagem, resultando no menores custos quando comparado a outras aeronaves cargueiras.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 15 de Dezembro de 2020 às 14:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião Boeing 777F China Airlines Ásia pandemia