Armamento 'limpo'

Canhão laser será uma das armas de novo avião dos Estados Unidos

Com potência de 60 quilowatts armamento poderá danificar alvos no solo sem comprometer a vida de soldados inimigos


Canhão laser deverá ser instalado nos futuros AC-130J da força aérea dos Estados Unidos

Após vários anos de estudos a força aérea dos Estados Unidos planeja testar uma arma laser de 60 quilowatts capaz de destruir alvos em terra. O sistema deverá ser instalado novos futuros AC-130J Ghostrider, em complemento aos canhões tradicionalmente montados no avião.

Ainda que uma arma laser pareça mortal, o objetivo dos militares é justamente reduzir o número de mortes causadas pela ação do avião. A intenção é danificar severamente os equipamentos e instalações inimigas, mas com baixa letalidade entre os combatentes. O destaque de uma arma laser é a capacidade de focar em um ponto com máxima energia evitando o dano colateral no entorno. Algo impossível em armas convencionais de energia cinética ou energia química, que ao detonarem causam destruição completa em uma ampla área. As armas laser usam elevada concentração de luz para transferir energia para o alvo, aquecendo-o rapidamente e provocando sua inutilização.

LEIA TAMBÉM

O Comando de Operações Especiais da força aérea trabalha no desenvolvimento desta nova arma laser desde 2015 e acredita que o conjunto está próximo de atingir maturidade para ser testado em 2022.

 

Dano provocado por arma laser é concentrado em um único ponto, evitando causar mortes no campo de batalha

A expectativa dos militares é de uma arma com faixa de 60 quilowatts, considerada de baixa potência, não sendo suficiente para matar instantaneamente uma pessoa e nem destruir um veículo blindado. Porém, com potência para danificar uma antena, inviabilizar o uso de uma embarcação de pequeno porte, tirar de combate um drone ou veículo militar sem blindagens.

 

Originalmente a força aérea previa uma arma com o dobro da potência, mas os testes iniciais devem ser para uma arma com menos capacidade. Em 2015, no anuncio do programa de arma laser para o novo AC-130J, a potência planejada para os testes era de 120 quilowatts, aproveitando o máximo de capacidade do avião.

O uso de armas laser chegou a ser testado nos Estados Unidos nos anos 2000, mas uma série de fenômenos físicos inviabilizaram seu uso em alvos de grandes dimensões e a longas distâncias, mas comprovando sua viabilidade contra objetos próximos.

O AC-130U é um avião fortemente armado (note canhão e obus) e que na versão "J" deverá receber canhão laser

O AC-130J Ghostrider é a mais recente plataforma de ‘canhão voador’, do inventário da força aérea dos Estados Unidos. O conceito amplamente utilizado na Guerra do Vietnã utiliza um C-130 Hercules armado com poderosos canhões, com capacidade de destruir grandes alvos em solo.

O AC-130J é baseado na mais recente versão do quadrimotor tático, o C-130J Super Hercules, sendo equipado com um canhão GAU-23/A de 30 milímetros e um obus de 105 milímetros, podendo ainda transportar bombas de pequeno diâmetro GBU-39B de 250 libras (133 kg), ou ainda o míssil AGM-114 Hellfire e AGM-176 Griffin, de elevada precisão. A expectativa é que o arsenal embarcado em breve considere também um canhão laser.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 21 de Maio de 2020 às 13:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Lochkeed Martin C-130 Hercules AC-130J canhão Gunship laser arma laser USAF EUA air force