Guerra de bilhões

Canadá recebe nova oferta de compra para os caças F-35

País havia cogitado utilizar o avião durante o governo do conservador Stephen Harper


F-35 poderá substituir os atuais CF-18 Hornet da força áerea real do Canadá

  • Faça parte do grupo de AERO Magazine no Telegram clicando aqui

A Lockheed Martin enviou uma nova proposta para o Canadá referente ao caça de quinta geração F-35, que estáconcorrendo a uma oferta para substituição dos já veteranos caças CF-18 Hornet usados pelo país.

Atualmente o Canadá enfrenta um impasse para modernização da sua frota de caças, tendo como opção o F-35 desde meados de 2010. Na ocasião, o governo conservador liderado por Stephen Harper havia assinado um memorando para compra de até 65 caças, mas o processo foi revisto pelo atual Primeiro-Ministro Justin Trudeau, do partido Liberal, que analisa ainda qual aeronave será adquirida.

O atual governo afirma que existem outras opções com menores custos de aquisição e operação. Em 2018 foi aberta a concorrência oficial para substituir a frota de caças da Royal Canadian Air Force, com intenção de adquirir 88 aeronaves de combate. O processo deverá ser concluído em 2021, onde competem pelo contrato bilionário o próprio F-35, o europeu Eurofighter Typhoon, o sueco Gripen NG e o norte-americano Boeing F/A-18 Super Hornet.

Atualmente parte da produção de componentes do F-35 é feita no Canadá, que integra a cadeia global de fornecedores do completo e bilionário programa Joint Strike Fighter, que deu origem ao caça.

Ainda que não tenha formalizado um acordo para aquisição do F-35, o Canadá foi escolhido como fornecedor do programa, visto sua elevada capacitação técnica em processos avançados, como os exigidos em um caça de quinta geração.

O Canadá por sua vez, se tornou um importante parceiro do projeto F-35 desde o ínicio da competição Joint Srtike Fighter, o país é responsável por integrar a cadeia global de suprimentos do F-35 e adquiriu ampla experiência técnica do caça de 5ª geração nos últimos 15 anos de envolvimento na produção do F-35.

“Estamos extremamente orgulhosos da nossa parceria de longa data com o Canadá, que desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento do F-35”, disse Greg Ulmer, vice-presidente executivo do Programa Joint Strike Fighter. “O F-35 de quinta geração transformará a Royal Canadian Air Force fornecendo os recursos necessários para proteger os céus canadenses”, acrescentou o executivo.

Um dos diferenciais competitivos do F-35 está na geração de empregos no Canadá, que deverá suportar, ao longo da vida útil do programa, aproximadamente 150.000 postos de trabalho contínuos. O projeto deverá manter os caças em serviço ao menos até meados de 2050. Atualmente o F-35 opera em nove países, estando baseado em 24 bases aéreas ao redor do mundo, enquanto seis forças aéreas já empregaram o caça em operações reais, com Israel já tendo utilizado o avião em combate.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Gabriel Benevides e Edmundo Ubiratan

Publicado em 4 de Agosto de 2020 às 12:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing F/A-18 Super Hornet Eurofighter Typhoon Saab Gripen F-35 Lockheed Martin caça guerra