Adeus!

Últimos 747 da British Airways decolaram pela última vez

Empresa britânica se despediu do Jumbo após quase 50 anos voando juntos


Os últimos dois 747-400 da British Airways decolam pela última vez de Heathrow

Após quase cinco décadas de operação a British Airways aposentou seus últimos Boeing 747, retirando de serviço o íconico Jumbo ao menos quatro anos antes do previsto. Consequência da pandemia de covid-19.

Hoje (8) os últimos Boeing 747-400 restantes da British que estacam baseados no aeroporto de Heathrow, nos arredores de Londres, taxiaram para decolar pela última vez. As duas últimas aeronaves da companhiasubiram aos céus, uma após a outra, da pista 27R do aeroporto.

Após decolar o G-CIVY realizou uma passagem sobre a o aeroporto londrino, em uma despedida emocionante de sua antiga casa, antes de seguir para St Athan, no sul de do País de Gales, onde será desativado definitivamente.

Por fim, o avião de matrícula G-CIVB,  com a pintura histórica Negus da companhia aérea, e o G-CIVY, coma atual pintura Chatham Dockyard, vserão enviados respectivamentes para Kemble,no condado de Gloucestershire, na Inglaterra e St Athan.

A família 747 voou  impressionantes 167 milhões de quilômetros em seus 47 anos de serviços pela empresa inglesa, transportando centenas de milhares de passageiros. A British Airways recebeu seu primeiro 747-400 em julho de 1989 e o último em abril de 1999, no auge haviam nada menos de 57 aeronaves do tipo na frota. Aliás, a empresa foi a maior operadora global do 747-400.

“Hoje foi um marco emocional na aposentadoria de nossa frota de 747, pois foi nossa última chance de ver a Queen of the Skies partir de nossa casa no aeroporto de Heathrow. Os 747 desempenharam um papel importante em nossa história de 100 anos*, formando a espinha dorsal da frota por mais de 50 anos", contou Alex Cruz, presidente e CEO da British Airways.

Em julho, a British Airways anunciou que a sua frota do Boeing 747 havia realizado seus últimos voos comerciais e que a aposentaria adiantada foi resultante dos impactos que a pandemia de covid-19 trouxe para a companhia. Os Jumbos serão substituídos por aeronaves mais silenciosas e mais econômicas ao longo dos próximos anos. Os Boeing 787 Dreamliner e Airbus A350 devem ser os principais aviões de longo curso da empresa britânica.

 "Sei que falo por nossos clientes e pelos muitos milhares de colegas que passaram grande parte de suas carreiras ao lado deles, quando digo que sentiremos falta de vê-los enfeitando nossos céus”, concluiu.
 

* Nota da redação: Os 100 anos se referem a idade da aviação comercial britânica, a British Airways completou 46 anos.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Gabriel Benevides

Publicado em 8 de Outubro de 2020 às 15:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 747 747-400 British Airways Airbus A350 Londres 787 Dreamliner covid-19