Fim de uma era

Atlas Air encomenda quatro novos Boeing 747-8 cargueiros

Pedido marca despedida do Jumbo, que terá a linha de produção encerrada em 2022


Atlas Air é atualmente a maior operadora global do 747, com 53 aviões do tipo na frota

Ainda que esteja próximo do fim da produção, o 747-8F obteve mais um importante contrato, com a gigante cargueira Atlas Air confirmando um pedido firme para quatro aviões. A expectativa é que as aeronaves sejam entregues entre maio e outubro de 2022.

O acordo marca provavelmente o último da família 747, que após mais de 50 anos do primeiro voo e aproximadamente 1.500 aviões entregues, será retirado de linha no próximo ano.

A Atlas Air, uma das principais clientes do 747, aproveitou a oportunidade de crescimento do comércio eletrônico global para realizar uma ampliação e renovação da frota de cargueiros pesados.

“Estamos entusiasmados em reforçar nossa frota com a aquisição dessas quatro aeronaves. Esta oportunidade de crescimento significativo nos permitirá capitalizar sobre a forte demanda e entregar valor para nossos clientes existentes e potenciais”, disse John W. Dietrich, presidente e CEO da Atlas Air. “A eficiência e a capacidade do 747-8F complementa ainda mais nosso foco de longa data em tecnologia de ponta. Cargueiros dedicados - como os operados por nossas subsidiárias Atlas, Polar e Southern – continuarão a ter demanda, à medida que o mercado global de carga aérea, particularmente os setores de e-commerce e [encomendas] expressas, continua a crescer”.

O 747-8F oferece carga útil 20% maior e consumo de combustível 16% inferior em comparação aos 747-400F, tendo ainda uma capacidade 25% superior ao 777-200LRF. A carga útil máxima é de 137,7 toneladas métricas, uma das maiores entre aviões puramente cargueiros.

O 747-8 é também o único avião civil em produção com porta de carga no nariz, que permite o carregamento de grandes volumes que não conseguem entrar em aeronaves apenas com porta de carga lateral. Aliás, a porta no nariz é um dos motivos da escolha do 747-8F pela Atlas Air, que pretende continuar atendendo às necessidades de longo prazo do mercado de frete aéreo.

A Atlas Air é a maior operadora mundial do Boeing 747, tendo atualmente 53 unidades do Jumbo na frota, incluindo dez 747-8F, 34 747-400F, além de cinco 747-400 para passageiros e quatro 747 com a configuração Large Cargo Freighters (LCF). A empresa surgiu, há 28 anos, com apenas um 747, focando suas operações em voos cargueiros sob demanda, algo que se tornou um dos mercados mais atrativos do setor aéreo na última década.

“O 747 terá para sempre um lugar especial na história da aviação e estamos honrados com o compromisso de longa data da Atlas Air com o avião”, comentou Stan Deal, presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes. “Com a expectativa de que a frota global de carga aérea cresça mais de 60% nos próximos vinte anos, esperamos entregar esses aviões e apoiar a frota Boeing da Atlas Air no futuro”.

Mesmo diante das boas perspectivas de crescimento do setor cargueiro, a Boeing confirmou que encerrará a produção do já lendário Jumbo no próximo ano. Oficialmente o pedido da Atlas Air marca o último para o modelo. Em julho de 2020, a Boeing anunciou sua decisão de concluir a produção do 747-8 em 2022. “A Atlas Air iniciou suas operações há 28 anos com um único 747 e é apropriado que recebam os últimos 747 aviões de produção”, destacou Deal.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 12 de Janeiro de 2021 às 09:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Boeing 747 747-8 747-400 Jumbo Atlas Air cargueiro