Presente de Natal

Após recertificação Boeing amplia contratos para o 737 MAX

Alaska Airlines assina novo acordo totalizando 120 unidades do jato mais popular do mundo


Boeing 737-9 da Alaska Airlines

Alaska Airlines vai configurar seus 737-9 com 178 assentos, com três classes de serviço

A Boeing obteve a confirmação da ampliação dos pedidos da Alaska Airlines para o 737 MAX, injetando novo ânimo no programa após a recertificação. A empresa aérea norte-americana firmou um acordo para mais 23 unidades do 737-9.

Com base no pedido original assinado pela Alaska Airlines agora soma 120 encomendas firmes para a família 737 MAX. A empresa espera que os novos aviões ajudem na redução em até 20% nos custos com combustível por assento, em relação aos modelos de geração anterior.

“Estamos extremamente orgulhosos de anunciar este acordo transformador com a Boeing", disse Brad Tilden, CEO do Alaska Air Group. "Acreditamos neste avião, acreditamos em nossa forte parceria com a Boeing e acreditamos no futuro da Alaska Airlines e nas incríveis oportunidades que temos pela frente, conforme escalamos nosso caminho para sair desta pandemia”, acrescentou o executivo.

A Alaska Airlines, que voa especialmente voos domésticos no território continental dos Estados Unidos, utilizará os 737-9 configurados com 178 assentos, divididos em três classes e com alcance de até 3.550 nm (6.575 km). Os novos aviões oferecem 600 nm (1.111 km) a mais no alcance que as aeronaves equivalentes de geração anterior com a mesma configuração.

Cliente de longa data da família 737, a Alaska Airlines aposta na família MAX desde meados de 2012, quando a realizou um pedido de 32 aviões da série 737 MAX 9, visando dar continuidade na aquisição de aeronaves mais eficientes no consumo de combustível.

Outro ponto favorável a Boeing foi a decisão da Alaska Airlines em se desfazer de alguns de seus Airbus A320, adquiridos após a compra da Virgin America. Com a volta da padronização da frota com o 737, a empresa mantém sua posição de destaque entre clientes da Boeing.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 22 de Dezembro de 2020 às 14:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Boeing 737 737 MAX 737-9 Alaska Airlines Virgin America Airbus A320