Viagens seguras

Testes de covid-19 podem ajudar retomada do transporte aéreo

IATA pede exames sistemáticos antes do embarque como garantia para agilizar reabertura de fronteiras


Aposentadoria antecipada de frotas deverá impactar diretamente em empregos na aviação

Receba as notícias de AERO diretamente no TelegramWhatsApp e Instagram

As autoridades de aviação do mundo estão se mobilizando para promover o desenvolvimento e implementação de testes de covid-19 rápidos e de baixo custo para todos os passageiros. A intenção é que esteja disponível antes do embarque como uma alternativa à quarentena para restabelecer a conectividade aérea global.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) trabalhará ao lado da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) e com as autoridades de saúde na implementação rápida dessa solução.

Mais de meio ano se passou desde que a conectividade global foi paralisada, em meados de março após o fechamento maciço de fronteiras por conta da pandemia que atingiu todo o mundo.

De acordo com a IATA, as viagens internacionais estão 92% abaixo dos níveis de 2019. Embora alguns países tenham reaberto as fronteiras, a retomada tem sido limitada já que a maioria das medidas de quarentena inviabilizam as viagens.

"A saída para restaurar a liberdade da mobilidade entre as fronteiras é o teste sistemático de covid-19 de todos os viajantes antes do embarque”, comentou Alexandre de Juniac, Diretor Geral e CEO da IATA.

A expectativa é que com uma garantia que o viajante não está contaminado com o novo coronavírus será mais fácil para os países garantir a livre movimentação de passageiros. “O teste de todos os passageiros garante às pessoas a liberdade de viajar com confiança. E isso colocará milhões de pessoas de volta ao trabalho", pontou de Juniac.

A IATA alerta que o impacto social e econômico da crise chegará no setor aéreo, que emprega 65,5 milhões de pessoas, mas que já estão entre os mais afetados pela pandemia. Diversas frotas foram aposentadas antecipadamente, impactando de forma direta tripulantes, mecânicos e fornecedores.

Dados da associação apontam que as receitas perdidas devem ultrapassar US$ 400 bilhões, com estimativa de perda líquida recorde acima de US$ 80 bilhões em 2020, em um cenário de recuperação mais otimista do que de fato ocorreu.

"A segurança é a prioridade principal da aviação. Somos a forma mais segura de transporte porque trabalhamos juntos como um setor com governos na implementação de padrões globais", disse de Juniac.

A pesquisa de opinião pública da IATA revelou forte apoio aos testes de covid-19 no processo de viagem. Cerca de 65% dos viajantes pesquisados concordaram que a quarentena não deve ser exigida se o teste der negativo. Outros 84% concordaram que todos os viajantes devem fazer o teste e 88% disseram estar dispostos a fazer o teste como parte do processo de viagem.

  • Receba as notícias de AERO diretamente no Telegram clicando aqui

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 23 de Setembro de 2020 às 14:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Airbus A380 covid-19 viagem aérea IATA ICAO