Repórter Aéreo


Em 1958, o piloto John Silva decolou com um pequeno Bell 47 e iniciou algumas filmagens a apenas 150 pés na região de Hollywood Hills, na Califórnia. Embora as imagens tenham sido bastante rudimentares, dado o tamanho dos equipamentos de filmagem na época e o pequeno espaço disponível no helicóptero, a ideia revolucionou os meios de comunicação.

Hoje milhares de redes de televisão e rádio empregam helicópteros em coberturas jornalísticas, que vão da transmissão de eventos, manifestações populares, informação sobre o trânsito, entre tantas outras.

A pioneira transmissão foi feita pela KTLA Channel 5, de Los Angeles. Na ocasião foi necessário empregar um sistema de 2 watts e 2 gigahertz em micro-ondas. Os voos subsequentes passaram a enfrentar diversos problemas como limitação da distância de voo, que não podia sair do raio de alcance dos equipamentos de transmissão, assim como o peso excessivo dos equipamentos. A maioria era valvulado e além do grande porte ainda consumia uma considerável quantidade de energia, o que exigia uma fonte parruda e um meio eficaz de dissipar o calor gerado.
Atualmente, graças à evolução da eletrônica, os sistemas são compactos o bastante para serem instalados em helicópteros de pequeno porte como o Robinson R22. Além disso, muitas transmissões são feitas via satélite, o que aumenta a flexibilidade de uso do helicóptero.

Por Edmundo Ubiratan e Ernesto Klotzel

Publicado em 4 de Outubro de 2015 às 00:00


Curiosidades John Silva KTLA Channel 5 Robinson R22

Artigo publicado nesta revista