Fim da liberdade

Parlamento francês aprova fim de voos domésticos de curta duração

Rotas afetadas por nova lei podem ser percorridas de trem em até duas horas e meia


Airbus A318 da Air France em Paris

Projeto pretende proibir voos com menos de duas horas e meia serem realizados na França

Em meio a uma crise no transporte aéreo por conta da pandemia de covid-19, a França aprovou, no último dia 10, uma nova lei que inclui a eliminação de voos domésticos em rotas que podem ser percorridas pelo transporte ferroviário.

Os voos com até 2h30 de duração não poderão ser realizados no território francês, praticamente banindo todos os voos domésticos. A decisão faz parte de um projeto de lei que visa reduzir as emissões de carbono no país em 40% em 2030, em comparação aos níveis de 1990.

A votação aconteceu na mesma semana em que o Estado francês anunciou que iria recapitalizar a Air France em € 4 bilhões (R$ 27,1 bilhões), ampliando sua participação na companhia para cerca de 30%.

Ainda que a limitação seja bastante severa para as atividades da aviação doméstica e sobretudo regional, alguns ativistas ambientais pleiteiam que haja ampliação do banimento destes tipos de voos para rotas que possam ser percorridas de trem em até quatro horas. A medida foi defendida em uma audiência pública liderada pelo Presidente francês, Emmanuel Macron.

O projeto de lei ainda segue para duas votações no Senado e na Assembleia Nacional Francesa, mas alguns analistas consideram que após avaliação dos impactos nos empregos do setor aéreo a medida não irá longe.

Por Marcel Cardoso

Publicado em 14 de Abril de 2021 às 17:00


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Air France França aviação regional Emmanuel Macron