Crise ampliada

Norwegian encerra atividades de quatro filiais simultaneamente

Crise interna foi ampliada por pandemia do coronavírus e gerou a demissão de 4,7 mil funcionários


Norwegian é uma das maiores empresas de baixo custo da Europa e tem foco especialmente no mercado internacional

O conglomerado de empresas Norwegian Air Shuttle, conhecido por operar uma rede de empresas aéreas de baixo custo, anunciou o encerramento das atividades de quatro subsidiárias da Suécia e Dinamarca.

O grupo norueguês estava acumulando uma série de dificuldades financeiras nos últimos anos, tendo inclusive negociado a venda da Norwegian Argentina, que até 2019 era visto como uma potencial companhia sul-americana. A suspensão dos voos com o 737 MAX aliado a problemas enfrentados por parte da frota de 787 Dreamliner equipados com motores Rolls-Royce, ampliou as dificuldades da companhia.

LEIA TAMBÉM

Com a falência das quatro subsidiárias deverão ser demitidos aproximadamente 1.571 pilotos e 3.134 comissários baseados na Suécia, Dinamarca, Finlândia, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. A Norwegian afirmou que os funcionários baseados na Noruega, França e Itália não serão afetados.

“O impacto que o coronavírus teve no setor de companhias aéreas é sem precedentes”, disse o Jacob Schram, diretor CEO da Norwegian Air Shuttle. “Fizemos tudo o que era possível para evitar essa decisão de último recurso, também pedimos ajuda aos governos da Suécia e da Dinamarca”.

A Norwegian deverá realizar uma assembleia geral extraordinária para discutir com credores a possibilidade da conversão, total ou parcial, das dívidas e compromissos financeiros em ações da companhia. Com a grave crise que atingiu o setor aéreo analistas não sabem como bancos, credores e empresas de leasing vão lidar com pedidos em massa para renegociação de passivos.

Por Gabriel Benevides

Publicado em 21 de Abril de 2020 às 16:00


Notícias notícia de aviação aeronave avião Boeing 737 787 Dreamliner Rolls-Royce Norwegian Norwegian Argentina covid-19 coronavírus