O ano que não começou

No Brasil a pandemia gerou queda de 48,7% na demanda por voos domésticos

Redução foi a maior em vinte anos, mas equilíbrio entre oferta e demanda manteve a ocupação em 80%


Vista aérea do aeroporto de Brasília

Em 2020 o Brasul encerrou com um total de 45,2 milhões de passageiros transportados

Conforme esperado pelo setor, a demanda por voos domésticos teve queda de 48,7% nos doze meses de 2020, em relação a 2019. A drástica redução foi ocasionada pela pandemia, que por várias semanas praticamente paralisou o transporte aéreo no Brasil.

Porém, a comparação na movimentação entre os meses de dezembro e novembro de 2020 mostra uma tendência de recuperação que poderá ser assistida também em janeiro deste ano.

De acordo com os dados da Anac, a demanda por voos domésticos, medida em passageiros quilômetros transportados (RPK), registrou queda de 48,7% em 2020, em relação ao ano anterior. O resultado foi o pior desde o início da série histórica, iniciada em 2000.

Acompanhando a queda na demanda, a oferta calculada em assentos quilômetros ofertados (ASK) registrou uma retração de 47% na mesma comparação. Porém, com o equilíbrio entre oferta e demanda a taxa de ocupação dos aviões ficou estável em 80%, com uma redução de 2,7 pontos percentuais. O desempenho demonstra a necessidade de transporte aéreo regular no país, mesmo diante de incertezas e uma crise de saúde pública em todo o mundo.

Ao todo, o ano passado encerrou com um total de 45,2 milhões de passageiros transportados, uma diminuição de 52,5% no comparativo com 2019. Novamente o Brasil voltou a encerrar o ano distante da histórica marca dos 100 milhões de passageiros transportados.

O transporte aéreo de passageiros (RPK) no mercado internacional recuou 71% em 2020, em relação a 2019. A oferta, por sua vez, registrou diminuição de 62,6% na mesma comparação. Desta forma, o aproveitamento dos aviões ficou em 65,3%, redução de impressionantes 19 pontos percentuais. No total, foram transportados 6,8 milhões de passageiros, retração de 72%. O resultado, ainda que muito abaixo da série histórica, foi superior a diversos países no mundo, que em alguns casos a redução foi próxima dos 100%.

Dezembro

A comparação entre dezembro e novembro de 2020 mostrou uma tendência de recuperação, com uma alta de 20,9% na demanda por voos domésticos e aumento de 24,6% na oferta. No mercado internacional, a demanda por viagens aéreas teve alta de 68,7% na mesma comparação, com aumento de oferta de 18,6%.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 22 de Janeiro de 2021 às 11:30


Notícias notícias de aviação aeronave avião aviação Abear Anac pandemia demanda voos RPK ASK Brasília