Competidor global

Futuro avião sino-russo terá asas com tecnologia avançadas

Engenheiros do CR929 finalizam estudos aerodinâmicos nas pontas das asas


CR929 o futuro avião desenvolvido pela Rússia e China

Asas do CR929 deverão contar como aerodinâmica avançada em relação aos modelos atuais

Após vários meses de pesquisas, o Instituto Central de Aeroidrodinâmica de Moscou (TsAGI, na sigla em inglês) concluiu a fase avançada dos testes em túnel de vento do CR929, o futuro avião comercial de dois corredores sino-russo.

Desenvolvido em parceria entre a russa United Aircraft Corporation (UAC) e a chinesa Comac, o CR929 deverá ser um avião comercial de longo alcance, podendo competir nos mercados hoje ocupados pela família Boeing 787 e Airbus A350-900. A capacidade em duas classes deverá ser entre 250 e 300 assentos, com alcance estimado em 12.000 quilômetros.

Os estudos em túnel de vento estiveram focados especialmente em um novo conceito para as pontas das asas do avião. O objetivo é obter um perfil aerodinâmico mais eficiente para essa classe de aeronaves, que exige grande envergadura. Entre os ensaios estiveram um conceito de winglet, e a deformação geral da asa durante o voo de cruzeiro (considerando que ela pode assumir uma ligeira flexão positiva).

Os testes foram acompanhados por videogametria, possibilitando obter imagens detalhadas da estrutura da asa e do fluxo laminar, com velocidade de cruzeiro de Mach 0,85.

Ainda que a construção de um avião de grande porte não seja segredo para os engenheiros russos, o maior desafio atual é obter o máximo de eficiência das asas. Planejado para competir no cobiçado mercado de aviação comercial global, incluindo o chinês, o CR929 pretende estabelecer uma série de novos parâmetros que o tornem atraente em todo o mundo.

Um dos objetivos é o máximo de eficiência aerodinâmica, o que se traduz em menores custos operacionais e redução significativa no consumo de combustível e na emissão de ruído. Ao mesmo tempo, é necessária atenção especial para evitar o fenômeno de estol em ponta de asa. Ainda que seja trivial tal estudo, asas avançadas exploram novos conceitos que exigem nova análise.

A próxima etapa de estudos inclui o bordo de fuga da asa, especialmente o desempenho em voo de cruzeiro e em situações de baixa velocidade. Também é previsto uma análise dos pilones dos motores, que impactam de forma considerável no arrasto e posição ideal de instalação dos propulsores.

O consórcio CRAIC, coordenado pela Rússia e China, prevê que o avião realize seu primeiro voo em 2023. O objetivo é atender a demanda interna das empresas aéreas chinesas, assim como o previsto para o C919.

A versão básica da aeronave de passageiros de longo curso CR929 de fuselagem larga foi revelada em 2017. O jato está sendo projetado para transportar 250-300 passageiros em rotas de até 12.000 quilômetros. O voo inaugural para este projeto russo-chinês, desenvolvido pela CRAIC, Cooperação Internacional de Aeronaves Comerciais China-Rússia, está supostamente agendado para 2023.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 17 de Março de 2021 às 17:20


Notícias notícias de aviação aeronave avião Boeing 787 Airbus A350 C919 Comac UAC Russia China widebody aerodinâmica