Aviões da década de 1980 se tornam solução

França oferece caças a Argentina

Acordo prevê venda de dois lotes do Mirage 2000C com forma de modernizar a combalida força aérea argentina


O governo francês realizou uma oferta formal para a venda de caças Mirage 2000 a Argentina. Embora os valores envolvidos não tenham sido revelados, o acordo prevê uma venda de até 24 aviões do modelo 2000C S5-2C, de um lote que está baseado atualmente em Châteaudun.

A proposta inclui a entrega dos primeiros doze aviões, revisados, no final de 2019, seguindo de um segundo lote em meados de 2020. A oferta inclui peças de manutenção e treinamento.

A oferta francesa pode permitir a Argentina reestabelecer parcialmente sua capacidade de defesa, fortemente afetada pelos cortes orçamentários nas últimas décadas e a ausência de vetores de caça modernos. Atualmente Buenos Aires trabalha num programa de revitalização dos antiquados A-4AR Fightinghawk, produzidos na década de 1990 pela Lockheed Martin como um upgrade do A-4M Skyhawk, desenvolvido exclusivamente para a força aérea argentina.

Embora os Mirage 2000C representem um salto nas atuais capacidades da força aérea argentina, a elevada idade dos aviões e do próprio projeto manterá o país entre os mais defasados tecnologicamente na região. No início dos anos 2000, o Chile formalizou a compra de dois lotes do F-16, das versões C/D Block 50+ e MLU M2. A Venezuela conta com 23 caças Su-30MK2 e outros 16 F-16A, enquanto o Brasil encomendou 36 unidades do Gripen E/F, que podem chegar a mais de 100 ao final do contrato.

A Argentina recentemente tentou, sem sucesso, negociar aviões com a força aérea da Espanha e de Israel, em acordos que não foram concretizados por pressões políticas e problemas financeiros.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 27 de Fevereiro de 2018 às 16:30


Notícias Mirage Sukhoi Lockheed Saab F-16 M2000C Su-30 Gripen