Sem combustível para operar

Falha em abastecimento de combustível quase compromete operação do aeroporto de Guarulhos

Problema com a rede da Transpetro interrompeu fornecimento e estoque ficou próximo do limite


Uma falha no forneciento de combustível para o GRU Airport pela Transpetro levou à suspensão temporária do envio de querosene ao maior aeroporto da América do Sul. Segundo a Transpetro, houve roubo de combustível*. 

A situação se agravou com o tempo elevado para solução do problema, levando à redução do estoque padrão de combustível no aeroporto. Em nota enviada as empresas aéreas, o GRU Airport, pedia que os aviões em voos domésticos abastecessem com máxima capacidade possível na origem, evitando um reabastecimento no aeroporto paulista. O objetivo era manter o estoque de combustível até segunda-feira, mantendo especialmente a operação de voos internacionais, que não possuem condições de realizar tal procedimento.

A preocupação da GRU Airport era que a continuidade do problema por mais de 24 horas poderia afetar severamente todas as operações no aeroporto. O estoque de combustível nos principais aeroportos do mundo é suficiente para suprir a demanda das empresas aéreas por pouco mais de um dia. Uma falha no abastecimento é considerada grave, podendo paralisar a maior parte das operações, especialmente internacionais de longo curso.

A normalização do problema ocorreu no domingo (25), permitindo ao aeroporto regularizar o estoque de combustível nas próximas horas.



* Texto atualizado depois da confirmação de que o problema no duto, na verdade, se deu por conta de roubo de combustível. Para obter mais informações, clique aqui.  

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 25 de Fevereiro de 2018 às 11:30


Notícias GRU Airport Petrobras