Novo Embraer

Embraer mostra primeira imagem frontal do seu futuro avião comercial

Novo turbo-hélice brasileiro, ilustração inédita exibe detalhes adicionais do projeto


Ilustração pode oferecer pistas sobre o conceito que será utilizado em um futuro avião turbo-hélice da Embraer 

Uma imagem frontal dos planejados turbo-hélices da Embraer, mostra os planos do fabricante para o avião. Ainda que não passem de ilustrações, sem necessariamente serem referentes aos estudos reais, é possível obter algumas pistas sobre o projeto.   

As ilustrações digitais mostram de forma mais nítida o maior diâmetro dos motores e uma seção frontal do cockpit próxima ao desenho adotado pelos E-Jet. O padrão aerodinâmico visto nas imagens, assim como na maior parte dos projetos atuais, visa uma maior redução do arrasto frontal.

Modelos como os E-Jet da Embraer, A220 da Airbus, 787 da Boeing, e SpaceJet da Mitsubishi, adotam um perfil com nariz baixo, o que se traduz em maior eficiência aerodinâmica quando comparado aos aviões com a linha do nariz média, como os 737 e A320.

Outra característica são as asas, que devem contar com grande alongamento (relação entre comprimento e largura), seguindo a tendência atual da aviação comercial, mas incomum entre turbo-hélices. Provavelmente a Embraer deverá adotar uma solução que ofereça capacidade de operar em pistas curtas, ao mesmo tempo que permita maior velocidade em voo de cruzeiro, quando comparado aos modelos atuais.

O já veterano Q400 da atual de Havilland Canada, ainda que tenha grande desempenho em voos de cruzeiro e em pistas altas e quentes, possui um projeto de asa alta e com tecnologia do final dos anos 1970. Aliás, o estudo da Embraer trabalha com um conceito de asa baixa, como alguns modelos europeus do passado, mas que possibilita melhor performance em voo.

Também fica evidenciado o tanque de combustível ventral, que além de ter melhor desenho aerodinâmico, pode oferecer maior alcance. Ainda que seja difícil saber qual o formato exato da fuselagem, a imagem leva a crer na manutenção do formato de dupla bolha, que disponibiliza maior espaço na cabine de passageiros e porão de cargas, sem comprometer a aerodinâmica como um todo.

Usualmente os desenhos preliminares da Embraer contam com grande parte dos elementos que serão adotados no projeto real, como foi no caso recente dos E-Jet E2, família Phenom e C-390.

Ainda assim, o fabricante brasileiro mantém a posição que o investimento no mercado de turbo-hélices só deverá ocorrer através de uma parceria. Todavia, sem citar se seria um acordo com outro fabricante de aviões ou com fornecedores de motores, que pode oferecer uma solução de motorização hibrida, algo ainda inédito no mercado.

Por Edmundo Ubiratan

Publicado em 17 de Março de 2021 às 18:10


Notícias notícias de aviação aeronave avião Embraer turbo-hélice E-Jet E2 A220 Airbus 737 Boeing Mitsubishi SpaceJet Bombardier Q400 ATR